Gabriel é a aposta do Santos no jogo contra Mogi Mirim

Jovem é a principal aposta do técnico Oswaldo de Oliveira entre os jogadores da base santista e terá nova chance como titular

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Gabriel herdou a camisa 11 de Neymar
DIVULGAÇÃO/SANTOS
Gabriel herdou a camisa 11 de Neymar

Sem vaga no ataque de Geuvânio, Leandro Damião e Thiago Ribeiro, o técnico Oswaldo de Oliveira outra vez deu um jeito de encaixar Gabriel, a sua maior aposta entre as promessas da base recém-promovidas, no time do Santos para enfrentar o Mogi Mirim, nesta quinta-feira, às 21 horas, no estádio Romildo Gomes Ferreira, em Mogi Mirim (SP), pela 12.ª rodada do Campeonato Paulista.

Com a escalação de um mais atacante, Cícero atuará mais atrás, com Arouca, na proteção da zaga e Alan Santos continua fora. O treinador elegeu Rildo o destaque da goleada contra o Bragantino e elogiou a atuação de Lucas Lima, contratado para ser o substituto de Montillo, mas é o garoto de 17 anos, artilheiro santista no Campeonato Paulista com cinco gols (empatado com Geuvânio e Cícero), que se mantém como titular e começa a ser visto como forte candidato a ocupar a vaga de Neymar.

"Gabriel tem vocação ofensiva e a vontade definida de fazer gols. Tenho notado ele mais atento na hora de se participar coletivamente. Gabriel ainda não tem a reação de um jogador que atua para a equipe, mas estamos trabalhando essa parte com ele e noto uma melhora constante", disse Oswaldo de Oliveira.

Não é apenas a qualidade técnica de Gabriel que impressiona positivamente o técnico, mas também a dedicação e a vontade do atacante de evoluir tática e tecnicamente. É comum o treinador interromper coletivos para orientar o jovem atacante, que ele já acompanhava à distância, no ano passado, quando ainda estava no Botafogo, do Rio de Janeiro.

Mesmo não sendo veloz, Gabriel era atacante de lado, em 2013, quando o Santos era comandado por Claudinei Oliveira. Com Oswaldo de Oliveira, enquanto a situação de Leandro Damião não era regularizada, Gabriel foi improvisado como atacante mais adiantado, atuando quase como referência pelo meio, e se adaptou rapidamente.

Agora, o treinador exige que ele aprenda a jogar como Montillo, na armação, dando assistência aos companheiros e chegando à frente para finalizar. "Gabriel tem visão de jogo, qualidade técnica, passa bem a bola e, como ainda é jovem, vai evoluir muito", previu o técnico, que pretende transformar Gabriel em um jogador completo e moderno.

Titular nos cinco primeiros jogos do Paulistão, Gabriel cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo diante do Linense, entrou no segundo tempo nas quatro partidas seguintes e voltou a ser escalado desde o início contra o Bragantino.

Após o treino de finalizações, nesta quarta, Oswaldo de Oliveira confirmou o retorno de Thiago Ribeiro no ataque, no lugar de Rildo, e a entrada de Émerson Palmieri na lateral esquerda, em razão da ausência de Mena, que foi convocado pela seleção chilena para o amistoso contra a Alemanha.

Embora tenha 26 pontos, como o Palmeiras, o Santos é o primeiro colocado na classificação geral da primeira fase do Campeonato Paulista por ter melhor saldo de gols. Se ganhar do Mogi Mirim, do Oeste e do Rio Claro (também como visitante) e empatar contra o Palmeiras, na última rodada, na Vila Belmiro, será mandante nas quartas, nas semifinais e decidirá o título em casa.

Leia tudo sobre: santosgabrieltitularchancefutebol