Enviado especial da ONU é ameaçado na Crimeia

Eliasson disse que não está claro se os homens falavam russo ou ucraniano, mas portavam armas e uniformes militares; eles exigiam que o vice-secretário saísse do país

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Crimeia, Robert Serry, foi ameaçado por um grupo de 15 a 20 homens, os quais disseram que deixasse a região e se dirigisse imediatamente ao aeroporto.

Jan Eliasson, vice-secretário-geral da ONU, disse a repórteres que após a ameaça o grupo impediu que o carro de Serry, que saía da base naval ucraniana, se movimentasse. Logo em seguida, o enviado especial conseguiu retornar ao hotel a pé.

Eliasson disse que não está claro se os homens falavam russo ou ucraniano, mas confirmou que alguns deles portavam armas e vestiam uniformes militares. Ele também disse que a ONU contatou as autoridades russas para que eles exerçam a influência necessária para retificar a situação.

Vitaly Churkin, embaixador da Rússia para a ONU, disse que antes é preciso perguntar às autoridades da Crimeia o que eles acham desse tipo de missão.

Mais tarde, a ONU disse que Serry iria embarcar em um avião e sair de Simferopol para "continuar sua missão, que foi abreviada pelo incidente de hoje".

Leia tudo sobre: UcraniaCrimeiaOnuameaçarussosmilitares