Antes de antecipar restituição do IR, avalie se você precisa

Especialistas dizem que linha só é vantajosa se for para quitar dívidas com juros mais altos

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

Grave. Para Reinaldo Domingos, a antecipação só vale a pena a quem precisa de dinheiro com urgência
DSOP Educação Financeira/divulgação
Grave. Para Reinaldo Domingos, a antecipação só vale a pena a quem precisa de dinheiro com urgência

O início do período de declaração de Imposto de Renda nem havia começado e as instituições bancárias já estavam oferecendo a antecipação da restituição aos contribuintes. Mas, antes de usar esse crédito, especialistas alertam que é importante analisar a necessidade do recurso e as taxas de juros cobradas.

“Se a pessoa está pagando juros mais altos, como os cobrados pelo cheque especial e cartão de crédito, é justificável a utilização do empréstimo. Afinal, está se trocando uma dívida mais cara por outra mais barata”, diz o professor de finanças da Faculdade IBS/FGV Ewerson Moraes. Entretanto, ele não descarta a análise de outras modalidades de financiamento. “É necessário avaliar. Há a opção do empréstimo consignado, por exemplo, que pode ser melhor”, diz. O recurso pode ser interessante, num primeiro momento, para pagar outras dívidas com juros altos. “Mas o próximo passo é verificar onde está o erro na administração do dinheiro e mudar a postura”, orienta o coordenador do curso de ciências econômicas da Newton Paiva, Leonardo Bastos Ávila. O problema é que, na maioria das vezes, os endividados, ao tomarem esses empréstimos, apenas estão remediando o problema do descontrole financeiro, que voltará a acontecer. “Logo, antes de simplesmente buscar a antecipação, é necessário que se faça um bom diagnóstico financeiro, para combater o que está gerando esse problema, fazer uma faxina financeira”, ressalta o presidente da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos. Malha fina. Ele diz que, para pedir a antecipação aos bancos, os contribuintes devem ter a certeza de que tudo está correto na declaração entregue ao governo. “Caso apresente problemas, ela pode cair na malha fina da Receita Federal e o contribuinte terá que arcar com o empréstimo do próprio bolso. Por isso, é sempre recomendável muito cuidado, ou mesmo o apoio de especialistas contabilistas”, diz. Para Domingos, a antecipação só vale a pena para os contribuintes que estão realmente precisando com urgência do dinheiro. Para quem está endividado e pagando taxas mais altas de juros do que as oferecidas pelos bancos, a antecipação da restituição para quitar dívidas é um bom negócio. Ele ressalta que, caso a pessoa esteja decidida a realizar o empréstimo, ela deve fazer um levantamento nos bancos. A primeira pesquisa pode ser pela internet, para, depois, sentar com o gerente e negociar melhorias na proposta que ele oferece. “Assim, entregar a declaração logo no início é recomendável pelo fato de ter mais chance de receber sua restituição logo nos primeiros lotes, mas, se isso não vier a acontecer, a solução é aguardar”, diz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave