Legislativo passou por ampliações

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Se a construção do quarto andar sair do papel, será a décima primeira obra no prédio da Câmara desde sua inauguração, em julho de 1988.  

Durante os últimos 26 anos, os maiores empreendimentos foram: a construção do terceiro pavimento no bloco A do prédio principal, a criação do chamado prédio de apoio, o muro de arrimo e a reforma dos estacionamentos.

Também fizeram parte das empreitadas da Casa a readequação de instalações, como a reforma da subestação elétrica, a reforma do Plenário Amynthas de Barros, a implantação de um elevador de passageiros, a instalação parcial de gradil no entorno do terreno, a modificação da cobertura do bloco B do prédio principal e a modernização do sistema de telefonia.

Mudanças. O atual prédio, na avenida dos Andradas, região leste da capital, é a terceira estrutura de abrigo do Legislativo de Belo Horizonte.

O primeiro endereço foi na esquina da rua da Bahia com a avenida Augusto de Lima. O edifício, tombado em 1975, foi construído em 1914. No local, funcionou o Conselho Legislativo e a biblioteca municipal.

Em 1937, o prédio abrigou apenas a biblioteca, já que o presidente Getúlio Vargas dissolveu o Poder Legislativo no país. A Casa voltou a funcionar em 1947, após a redemocratização, e lá permaneceu até 1973, quando aconteceu outra mudança. Com a necessidade de mais espaço, os vereadores foram para o Palácio Francisco Bicalho, na rua Tamoios. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave