Nos minutos finais, América vence em lance genial de Tchô

Coelho se aproveitou de ter um jogador a mais, principalmente no primeiro tempo; no segundo, time cansou e caiu de produção

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

O confronto entre Guarani e América era decisivo para as duas equipes, que chegaram para a 9ª rodada com o mesmo número de pontos e separadas por apenas uma posição na tabela. Com o Campeonato Mineiro próximo da sua reta final, o jogo era considerado um 'confronto de seis pontos', decisivo para os dois times, que tinham vivo o sonho da classificação.

Por mais que a passagem para a próxima fase estivesse ainda ao alcance do time de Divinópolis, uma vitória deixaria o time praticamente livre de qualquer chance de rebaixamento, um dos objetivos do Bugre na temporada.

Ao Coelho, que tinha um jogo a menos, o confronto era a chance de viver o melhor momento no Estadual com duas vitórias seguidas e começar a incomodar os times da parte de cima da tabela de classificação.

E os seis pontos em dois jogos foram somados com uma vitória por 2 a 1, aproveitando o fato de ter um jogador a mais desde os 20min de jogo. Ao Guarani, a classificação fica complicada e resta seguir lutando contra o descenso. Com o resultado, o Coelho sobe uma posição e salta para o sétimo posto.

Expulsão fez a diferença a favor do Coelho no primeiro tempo; lance de Tchô resolveu no segundo

Depois de um começo de jogo com entradas ríspidas e três cartões amarelos, o América detinha maior posse de bola, controlando todo o primeiro tempo, mas sem muita eficiência.

A primeira chance veio aos 9min, mas Obina chutou fraco, no meio do gol, após passe de Tchô. O time da casa esperava os contra-ataques para fazer suas investidas.

O gramado do Farião, em má condição, não ajudava e muitos erros de passes impediam a aproximação na área adversária. O América mostrava mais qualidade, mas tinha dificuldades para criar jogadas de perigo.

O Bugre mostrava vontade na marcação e nada mais. A situação para o time do interior ficou ainda mais complicada com a expulsão de Willian, aos 20min. Depois de ser advertido no início do jogo, o jogador foi punido novamente após simular falta na entrada da área americana.

O Coelho aproveitou o fato de ter um homem a mais para trocar passes, esperando o momento certo de 'dar o bote'. Mas a ansiedade jogava contra, impedindo momentos de maior emoção. Ao Guarani, restava intensificar a marcação e não se arriscar. Apesar de ter um homem a menos, o time da casa conseguiu criar melhores situações justamente após a expulsão de Willian. Mas nada que tirasse o controle do Coelho na partida. O gol americano veio aos 37min, após cobrança de escanteio. O zagueiro Renato Santos subiu mais alto e cabeceou forte no travessão. A bola quicou próxima da linha, em lance duvidoso, que acabou sendo confirmado como bola dentro pelo auxiliar. No lance seguinte, o Guarani assustou, mas Matheus fez boa intervenção. Com a vantagem no placar, o América teve mais tranquilidade para continuar tendo mais posse de bola. A torcida da casa resolveu pressionar o árbitro para alcançar a igualdade no número de jogadores em campo. Mesmo após o fim da primeira etapa, o juiz continuou ouvindo muito de torcida e dirigentes, queinvadiram o gramado para protestar contra sua atuação.

No segundo tempo, o Guarani voltou com tudo. Logo no começo, o empate veio com Michel Cury. A cobrança da falta teve desvio na barreira e dificultou a ação de Matheus, que nada pôde fazer.

A ansiedade voltou a atrapalhar o América, que viu o jogo ficar a favor do Guarani. O time da casa começou a ter o controle da partida e mal parecia que o Coelho tinha um jogador a mais.

Com os dois times sem mostrar eficiência na criação de jogadas e com o cansaço ficando evidente, o empate se arrastou até o final. Na 'bacia das almas', Tchô, em belo lance individual resolveu o jogo e fez o Coelho somar mais três pontos na tabela.

América 2 x 1 Guarani Motivo: ª rodada do Campeonato Mineiro Árbitro:  Flávio Henrique Coutinho

América: Matheus, Elsinho, Renato Santos, Lula e Gilson; Leandro Guerreiro, Andrei Girotto (Caballero), Tchô e Henrique (Ricardinho); Willians (Lucas Silva) e Obina Técnico: Moacir Júnior

Guarani: George, Alex, Tiago, Marques e Iago (Wanderson); Thiago Carpini, Luiz Fernando, Michel Elói (André) e Michel Cury; Willian e Tardelli (Tiago Pereira) Técnico: Leston Júnior

Cartões amarelos: Andrei, Caballero, Leandro Guerreiro (A), Willian, Tardelli, George (G)

Cartões vermelhos: Willian (G)

Gols: Renato Santos, aos 37min do primeiro tempo, Michel Cury, aos 10min do segundo tempo

Público: não divulgado

Renda: não divulgado