Uma conversa para adolescentes

iG Minas Gerais |

Há cerca de um mês, estive na Expo Money (feira especializada em investimentos e educação financeira), que aconteceu em Belo Horizonte, e assisti a uma palestra sobre educação financeira para crianças com a educadora Eliane Martins. Pela importância do tema e pela experiência da palestrante, pedi que ela escrevesse um texto para a coluna Meu Dinheiro. Hoje eu o publico. “Se educar não é tarefa fácil, imagina educar financeiramente nossos adolescentes! A adolescência é uma fase tão particular, de inúmeras ações e reações. É difícil se chegar a um consenso, os diálogos são muitas vezes intensos de emoções e sem grandes resoluções. É nessa fase de turbulência emocional dos filhos que os pais se preocupam em abordar assuntos polêmicos como: o contato com o álcool, o sexo, a balada e o consumismo compulsivo. Meu trabalho tem se pautado muito em evidenciar a importância da participação dos pais no desenvolvimento da vida dos filhos, pois eles servirão de exemplos no decorrer das suas vidas. Na questão financeira, não seria diferente. Minha dica é trazer o tema dinheiro para uma discussão familiar, mesmo entendendo que há muita dificuldade dos pais em inserir esse assunto na família. Iniciar essa discussão aberta sobre as possibilidades do orçamento familiar (o que podem ou não comprar e o porquê da decisão) facilita os pais no processo educativo de preparar o adolescente na formação de hábitos de consumo consciente; mas digamos que para esses adolescentes, foco da nossa conversa, o assunto “como lidar com o dinheiro de uma forma saudável” nunca foi pauta da conversa familiar, ao contrário, esses jovens sempre estiveram suscetíveis aos apelos e aos bombardeios do marketing do consumo. O adolescente nessa fase fica confuso, ora se sente inseguro, ora se sente dono de si, e para completar, por vezes se torna vulnerável ao grupo social do qual faz parte, a influência dos amigos, na maioria das vezes, se sobrepõe a dos pais. Ainda assim, é preciso investir no diálogo, estimulando jovens a conversarem sobre a importância de um planejamento financeiro. Lembre-se que a relação que os pais possuem com o dinheiro tem grande influência nas escolhas dos filhos. Sendo assim, seja um bom exemplo para os seus filhos. Pratique o consumo consciente. O consumo é uma prática que fazemos no nosso dia a dia, consumimos água, energia, alimentos, vestuários etc, recursos essenciais para nossa vida. Consumir de forma consciente é um conceito diferente. Um consumidor consciente tem responsabilidade na dosagem do seu consumo porque sabe que o ato da compra não é isolado, repercute não só sobre si, mas em suas relações sociais, na economia e na natureza. Reflita: para que um jovem consiga ter um futuro financeiro saudável, é fundamental ter um bom planejamento financeiro, consumir o necessário e não se deixar influenciar pelo consumismo desenfreado, sem limites e sem necessidades reais”. Texto produzido para a coluna Meu Dinheiro por Eliane Martins. Ela é pedagoga e colaborou com a alfabetização de milhares de brasileiros. Formada pela Universidade de Brasília, é especialista em Administração da Educação e tem MBA em Gestão Empreendedora em  Educação pela Universidade Federal Fluminense do Rio de Janeiro. Como executiva da Confederação Nacional da Indústria, foi coordenadora nacional do programa do SESI “Por Um Brasil Alfabetizado”. O projeto foi responsável pela alfabetização de mais de um milhão de jovens e adultos. Atualmente, é consultora e desenvolve projetos de educação financeira Neste mês, iniciei uma promoção do livro “Meu Dinheiro”, buscando que mais pessoas possam adquiri-lo. Os leitores interessados podem me enviar um e-mail que retorno com as indicações de como proceder. No livro, são discutidos temas importantes sobre finanças pessoais de uma forma que ajude os leitores a melhorar o seu relacionamento com o dinheiro.  Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave