Preso pela Polícia Civil homem considerado maior adulterador de chassi

O criminoso foi detido depois três meses de investigações da 4ª Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos

iG Minas Gerais | RICARDO VASCONCELOS |

Apontado pela Polícia Civil como um dos maiores adulteradores de chassis de carros roubados em Belo Horizonte, Antônio Carlos Machado Maia, de 36 anos, o Tony, foi preso nesta terça-feira (12), após três meses de investigações da 4ª Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos. Ele estava com várias ferramentas usadas no crime. “Ele recebia carros roubados e remarcava a numeração do chassi, motor e vidros. Para um leigo ou um policial não treinado, a adulteração passa despercebida e, por isso, ele é considerado um dos maiores especialistas nesse tipo de crime”, explicou o delegado Marcos Alves. De acordo com ele, no momento da prisão, o suspeito tentou intimidar os policiais, pedindo sua mulher para ligar para a Corregedoria da Polícia Civil. “Ele ainda deu o azar de um comparsa ligar e marcar um encontro, falando que estava com um carro para ele. Fomos até o local, um ferro-velho, e encontramos um carro adulterado”, afirmou o delegado. O responsável pelo local, Fábio André do Nascimento, de 32 anos, também foi preso. Segundo o investigador André Leles, o suspeito foi preso em casa, um imóvel de luxo, no Barreiro, avaliado em quase R$ 1 milhão. Além disso, Tony também é proprietário de um sítio de quase R$ 500 mil e estava com uma caminhonete de luxo em casa. Para a polícia, os bens podem ter sido adquiridos com o dinheiro dos crimes, praticados ao longo dos últimos dez anos. “Vamos investigar se houve o enriquecimento ilícito, uma vez que o suspeito não trabalhava e tinha um alto padrão de vida. Caso isso seja confirmado, ele pode ter o sequestro dos bens pela Justiça”, disse o investigador.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave