Ouro Preto é a 1ª cidade de Minas a receber pluviômetros automáticos

projeto do Governo Federal é direcionado para os municípios, em todo o país, que possuem histórico de desastres

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Prefeitura de Ouro Preto/Divulgação
Pluviômetros automáticos coletam os dados e enviam para o CEMADEM
Ouro Preto, na região Central de Minas Gerais, é a primeira cidade do Estado a receber pluviômetros automáticos e semi-automáticos para a prevenção de deslizamentos e enchentes. Os equipamentos, fornecidos pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, através do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEM), começaram a ser instalados na semana passada e devem ser concluídos ainda nesta semana. “A cidade está sendo tomada de referência para fazer o cronograma de instalação nos municípios vizinhos”, afirmou o engenheiro geólogo da Defesa Civil, Charles Murta. O projeto do Governo Federal é direcionado para os municípios, em todo o país, que possuem histórico de desastres. Os pluviômetros medem a quantidade de chuva, em milímetros, em um determinado tempo e espaço, com abrangência de cerca de quatro mil metros quadrados. Em Ouro Preto, estão sendo instalados 12 aparelhos automáticos e 23 semi-automáticos na cidade e nos distritos. Os pluviômetros automáticos coletam os dados e enviam para o CEMADEM através de sinal do Serviço de Rádio de Pacote Geral (GPRS), sem precisar da intervenção humana. De acordo com uma tabela de milímetros por região, eles enviam alerta para os municípios em caso de emergência. Em Ouro Preto, os equipamentos foram instalados no Campus do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), Morro São Sebastião, São Cristóvão, Nossa Senhora do Carmo (Pocinho), na área do Hospital Santa Casa e no Parque Municipal Cachoeira das Andorinhas, além dos distritos de Glaura (subdistrito de Soares), Santo Antônio do Leite, Amarantina e Cachoeira do Campo. Os pluviômetros semi-automáticos fazem leitura automática, mas são operados pela comunidade. A intenção deste segundo aparelho é também que a população se envolva na ação. Segundo o coordenador da Defesa Civil, Sebastião Evásio, os locais que receberão estes pluviômetros ainda estão sendo cadastrados. Sebastião explica ainda que ação auxiliará o trabalho da Defesa Civil. “Nós poderemos desenvolver ações e estratégias para amenizar os impactos causados pelas chuvas. Também vamos aproveitar os aparelhos semi-automáticos para conscientizar a população sobre os riscos e prepará-la para os períodos chuvosos”, explica. Segundo o engenheiro geólogo, Mariana e Conselheiro Lafaiete também já começaram a receber os equipamentos. Congonhas deve ser a próxima da lista. Murta também disse que Betim, na região metropolitana deve ganhar 11 pluviômetros automáticos e as demais cidades do Estado devem receber entre cinco e seis equipamentos.  Desastre No dia 2 de janeiro de 2012, 60 mil toneladas de lama e pedras destruíram parte da estrutura do terminal rodoviário da cidade e ainda mataram dois taxistas. O deslizamento aconteceu devido a forte chuva que caía sobre a cidade na época.

Leia tudo sobre: chuvaprevençãopluviômetrospioneiraprojeto