Segue pressão por apoio do PMDB

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

Janaina Pucci / DIVULGACAO
Gleide também está na disputa
O PT quer e aposta na união com o PMDB para a disputa pelo governo de Minas Gerais no ano que vem, mas dá sinais de que não vai abrir mão da cabeça de chapa como ocorreu em 2010. O ex-ministro petista, Luiz Dulci, cobrou ontem a “fatura” dos acordos com peemedebistas no passado.   Questionado sobre a chapa com a legenda aliada, Dulci disse que espera que ambos sigam juntos em 2014 no Estado. “Mas eu espero que seja em torno da candidatura do ministro (Fernando) Pimentel, já que em ocasiões anteriores, o PT apoiou candidatos do PMDB a governador”. O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, também enfatizou a aliança com o PMDB no ano que vem, mas não cravou se será já no primeiro turno ou no segundo. O nome do filho do ex-vice-presidente José Alencar, Josué Gomes – que se filiou ao PMDB em setembro – é o mais cotado para compôr chapa com Pimentel, caso a sigla defina o apoio ainda em primeiro turno. “Eu quero ter ele junto conosco. Agora, onde, quem vai definir é o PMDB e o PT, no momento adequado”, avaliou. Dulci e Pimentel estiveram ontem em Belo Horizonte para participar da escolha dos novos dirigentes petistas em nível municipal, estadual e federal. Em Minas, o posto é disputado pela secretária de Finanças do PT-MG, Gleide Andrade, pelo deputado federal Odair Cunha, pelo deputado estadual Rogério Correia e pelo vereador de Juiz de Fora Betão. Às 20h de ontem, foi dado início à apuração dos votos. A primeira parcial não havia sido divulgada até o fechamento desta edição. O nome do novo presidente petista no Estado só será confirmado na tarde de hoje. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave