Pedras no sapato

iG Minas Gerais |

Na era dos pontos corridos o Cruzeiro é o único “intruso” a atrapalhar a hegemonia de títulos de paulistas e cariocas. É um alento para quem teme que o futebol brasileiro se torne monótono em termos de candidatos a campeão, como ocorre na Espanha, onde Barcelona e Real Madri fazem lá o que Atlético e Cruzeiro fazem no campeonato mineiro. Apesar dos clubes do Rio e São Paulo terem a maioria das conquistas, nunca os palpites iniciais quanto aos “favoritos” ao título da temporada se confirmam. Vivemos uma gangorra a cada ano nas partes de cima e de baixo da tabela de classificação. E raramente alguém dispara e ganha com um pé nas costas, como o Cruzeiro está ganhando neste ano e ganhou em 2003. O Fluminense foi campeão no ano passado e luta contra o rebaixamento neste ano. O Corinthians se esfacelou em relação ao grande time de 2012. O São Paulo, sempre apontado como favorito antes de todo campeonato começar, neste ano passou aperto para fugir da degola. O Flamengo tem feito campanhas “para o gasto”. Vasco tenta sair das quatro últimas posições. Botafogo sonha com uma vaga na Libertadores. O Santos, neste ano, foi figurante. Mais dinheiro. Todos estes clubes arrecadam mais que Cruzeiro, Atlético, Inter e Grêmio, que são os concorrentes que volta e meia se intrometem na festa desejada pelos interesses comerciais e midiáticos da CBF, redes de televisão e cartolas que detém o poder. Este núcleo de poder está em pânico diante do risco de não terem nenhum paulista ou carioca na Libertadores. Bola da vez. O Atlético Paranaense é o “adversário a ser batido” pelos cariocas, representados pelo Flamengo na final da Copa do Brasil. A outra esperança deles para entrar na Libertadores é o Botafogo, a cada rodada com menos fôlego para ser vice ou terceiro no Brasileiro. Os paulistas jogam suas fichas no São Paulo e Ponte Preta, que se enfrentarão na semifinal da Sul-americana. A festa continua. A festa da torcida em Belo Horizonte e no Mineirão antes, durante e depois do jogo foi o que houve de melhor na vitória do Cruzeiro sobre o Grêmio. Dentro de campo, domínio absoluto celeste, mesmo com três defesas espetaculares do Fábio, quando o placar era de apenas 1 a 0. Observações. O Atlético desperdiçou boas oportunidades contra o Bahia e o empate ficou de bom tamanho em mais um jogo encarado como treino de luxo para a disputa do Mundial no Marrocos. O técnico Cuca testa jogadores e formações de olho nos possíveis adversários. Sexta-feira saiu o provável adversário do Bayern de Munique, o chinês Ghangzou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave