Lula quer PT comprometido com vitória de Dilma Rousseff

Ao votar ontem na eleição interna do partido, ex-presidente ressaltou prioridade de reeleger sucessora

iG Minas Gerais |

Nelson Antoine
Articulações. Lula articulou para que o atual presidente do PT, Rui Falcão, seja reeleito para o posto
São Paulo. O ex-presidente Lula votou ontem no Processo de Eleições Diretas (PED) do PT e destacou a importância do partido ter “uma direção consolidada e comprometida com o governo da presidenta Dilma” e com “vontade política” para levar a legenda a conquistar o governo paulista no próximo ano.   “Acho que São Paulo merece um governo do PT, para a gente mostrar que São Paulo pode ser muito melhor e fazer muito mais”, declarou. O ex-presidente articulou para garantir a recondução do presidente nacional do PT, Rui Falcão, que deve coordenar a campanha de Dilma à reeleição, e diminuir o espaço das correntes da chamada “esquerda petista”, que criticam, por exemplo, a aliança nacional com o PMDB e medidas do governo federal como o leilão do campo do pré-sal de Libra. Lula disse ainda que o PT precisa “voltar a fazer um discurso para a juventude” e que esse será um dos desafios da direção do partido ao lado da organização para 2014, que ele chamou de “uma eleição histórica para o PT”. “Temos chance de disputar eleição em vários Estados, e eu diria que o mais importante de todos, depois da presidenta Dilma, é São Paulo. Por isso é que nós estamos com vontade de ganhar a eleição de São Paulo”, disse. À pedido de Lula, Dilma esteve ontem na sede do PT em Brasília para votar no PED. Embora seja filiada à sigla desde 2001, a presidente não integra nenhuma corrente partidária e mantém distância dos dirigentes da legenda. Dilma não concedeu entrevista, mas, afirmou no Twitter ter orgulho do PT, “um partido nascido das lutas dos trabalhadores e que governa olhando para os mais pobres, os mais fracos, os mais necessitados”. Além de Rui Falcão, concorrem à presidência do PT o atual secretário-geral da sigla, deputado federal Paulo Teixeira, o secretário de Movimentos Sociais, deputado federal Renato Simões, o secretário-executivo do Foro de São Paulo, Valter Pomar, e os líderes das correntes mais à esquerda do partido, Markus Sokol e Serge Goulart. O resultado da eleição não havia sido divulgado até o fechamento desta edição. Problemas Ocorrências. Alguns problemas foram registrados no processo de eleição do PT. Em Montes Claros, no Norte de Minas, o comando da legenda definiu que cerca de 2.000 filiados não poderiam votar no pleito devido a indícios de irregularidades nos registros. Nulo . Caso seja identificado que algum dos filiados barrados participou da eleição, o pleito poderá ser anulado na cidade.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave