Filme busca retratar a favela como espaço de pessoas comuns

Primeiro longa-metragem de Jefferson De será apresentando dentro da Mostra Curto Circuito em BH

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

CURTA CIRCUITO
Durante as filmagens, Caio Blat se mudou para o Capão Redondo
Ao retratar mais uma história que se passa dentro de uma favela, “Bróder” se iguala a filmes da recente produção do cinema nacional que trataram do tema. O filme será exibido hoje no Cine Humberto Mauro. O termo “Favela Movie” é uma espécie de guarda-chuva para esse tipo de cinema produzido no país. Mas as escolhas do estreante em longa-metragens, Jefferson De, fazem com o que o longa consiga dialogar com essa realidade de outra maneira. “Quis filmar uma história de amizade que se passa dentro da periferia. Poderia ser na Savassi, por exemplo”, ressalta Jefferson. “Bróder” se passa em pouco mais de 24 horas e narra o reencontro de três amigos na festa de aniversário de um deles: Jaiminho é o jogador de futebol famoso e rico; Pibe é o bom moço que construiu família; e Macu é o único que ficou em meio ao crime e a marginalidade. O filme se passa no Capão Redondo, favela da Zona de Sul de São Paulo. Segundo Jefferson, “uma das regiões com produção cultural mais relevante na periferia de São Paulo. Racionais MCs, Ferrez, Sabotage são todos vindos de lá”. Em 2001, quando ainda estudava cinema, Jefferson, por meio de um projeto de pesquisa, quis discutir o papel do negro no cinema brasileiro. Da pesquisa surgiu um manifesto intitulado “Dogma Feijoada”, que trazia sete leis para esse “novo” cinema negro. As três primeiras diziam respeito ao protagonismo, da temática e da direção dos filmes que deveriam ser invariavelmente brancas. Como explicar, então a presença de Caio Blat no papel principal? “Muito tempo se passou desde aquilo, muitas coisas mudaram e eu também mudei. A grande discussão que tento trazer com esse filme é a respeito da branquitude. A negritude já foi muito pesquisada dentro da universidade por cientistas sociais e antropólogos, mas e o branco?”, indaga Jefferson. A empreitada, que começou com orçamento pequeno, foi encontrando parcerias e interesse de vários artistas, um deles, o diretor do Cinema Novo Cacá Diegues. “O Cacá me falou que eu fiz uma coisa inédita. Ao assistir o filme, você vai ver uma cena de vários rapazes correndo na periferia. Geralmente, se pensa que rapazes correndo na periferia estão ou fugindo de alguém ou de algo, mas não. Eles estavam simplesmente correndo pela diversão”, diz.   Agenda O Quê . Exibição do filme “Bróder” de Jefferson De Quando. Hoje, às 19h Onde. Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (avenida Afonso pena, 1.537, centro) Quanto. Entra gratuita

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave