Rinha de galo é descoberta pela polícia e 25 pessoas são presas

Segundo alguns dos detidos, a prática criminosa é comum no local

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

DIVULGAÇÃO/ POLÍCIA MILITAR
Local onde os animais sofriam maus tratos enquanto os suspeitos se divertiam
Em Porto Firme, na Zona da Mata, 25 pessoas foram detidas nesse domingo (10) quando estavam prestes a iniciar uma rinha de galo, em um local conhecido como Vendinha, na zona rural da cidade. Os animais que estavam sendo preparados para a briga foram apreendidos. A Polícia Militar de Meio Ambiente de Conselheiro Lafaiete esteve no local após uma série de denúncias anônimas dando conta do crime de exposição de animais domésticos a maus tratos que acontecia no local. Ao chegarem lá, 25 pessoas estavam reunidas em um galpão, onde foram colocados duas arenas construídas em estrutura de ferro e revestidos de tecido. Nestes cercados é que os animais seriam colocados e forçados a brigar, muitos deles, até a morte. No local, 25 galos foram encontrados quando estavam sendo preparadas para a arena. Eles foram apreendidos e receberam lacres numerados nos pés. As 25 pessoas que participavam da rinha foram presas e duas delas, que tentaram fugir pulando uma cerca de arame farpado, ficaram feridas e foram levadas a Unidade de Pronto Atendimento (Upa) de Porto Firme. Foram apreendidas duas biqueiras de metal e dois pares de esporas de plástico, que estavam acopladas nos animais. Segundo depoimentos de alguns detidos, a rinha de galo no local é comum. No entanto, de acordo com o artigo 29 da Lei Federal 9605, a prática é criminosa, já que envolve maus tratos a animais e é passível de prisão e multa. Será instaurado um inquérito para apurar o crime.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave