Cruzeiro goleia Grêmio, dá volta olímpica, mas Furacão adia título

Equipe de Marcelo Oliveira venceu com gols de Borges, Willian e Ricardo Goulart, no Mineirão

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

DENILTON DIAS/O TEMPO
Cruzeiro comemorou o título do Brasileirão mesmo não estando, matematicamente, garantido
Com futebol de tricampeão, mostrando toda a força quando atua em casa diante de sua torcida e com o Mineirão literalmente balançando por conta da festa da China Azul, o Cruzeiro fez mais uma vítima no Campeonato Brasileiro. Com eficiência, a Raposa fez o dever de casa e goleou o Grêmio por 3 a 0, ontem, pela 33ª rodada do Brasileirão. Borges, Willian e Ricardo Goulart decretaram o triunfo do líder. Outro grande destaque foi o goleiro Fábio, com defesas milagrosas, evitando qualquer êxito do adversário nas finalizações. A euforia foi tamanha pela goleada que todos os jogadores da Raposa, ao fim do confronto,deram a volta olímpica no estádio, rodando camisas e comemorando a quase confirmada conquista do caneco. Depois de rodear o campo, os atletas subiram em cima do carro-maca para seguir festejando, aos gritos de tricampeão que ecoava das arquibancadas. O atacante Dagoberto dava cambalhotas no gramado e o volante Souza até apareceu com uma taça de papelão no gramado. Em seguida, os atletas posaram para os fotógrafos como verdadeiros campeões. Com o resultado, a equipe mineira estabeleceu a marca inédita de vencer todos os adversários, pelo menos uma vez, na era dos pontos corridos. Porém, a confirmação do título foi adiada para a próxima rodada, uma vez que o Atlético-PR goleou o São Paulo por 3 a 0, protelando a decisão do campeonato para quarta-feira. Para confirmar o título, basta a Raposa derrotar o Vitória, em Salvador, no próximo jogo. Os mineiros também confirmam a conquista do caneco caso o Furacão não vença o Criciúma fora de casa. Jogo. O Cruzeiro começou o jogo no Mineirão imprimindo um ritmo forte e tentando pressionar o adversário, mas esbarrava na forte retranca do Grêmio, que atuava com três zagueiros e três volantes. Sem conseguir penetrar na defesa adversária, os cruzeirenses contaram com a sorte de campeão e com o oportunismo do centroavante Borges. Em uma jogada que parecia perdida dentro da área, aos 33 min, o camisa 9 pegou o rebote da defesa e acertou uma meia bicicleta no canto, explodindo o estádio com a vibração da torcida. Na defesa, quando solicitado, Fábio correspondeu. Aos 40 min, salvou duas bolas seguidas, uma delas em cima da linha após um chute de Souza, mantendo a vitória parcial.   No segundo tempo,os gaúchos vieram dispostos a buscar o empate e chegaram com perigo com Kleber e Barcos, mas Fábio salvou, e uma dos chutes do Pirata parou na trave. No ataque, a Raposa voltou a mostrar a eficiência do ataque mais positivo da disputa, definindo o placar com Willian, aos 33 min, e Ricardo Goulart, aos 40 min. Com o apito final do árbitro, jogadores e torcedores entoaram o canto de tricampeão brasileiro.

Leia tudo sobre: cruzeirogremiovolta olimpica