Polícia acredita em atuação de quadrilha especializada

iG Minas Gerais |

RICARDO MALLACO / O TEMPO
Fora de jogo. Polícia apresentou ontem os homens detidos por venda de ingressos falsificados
Depois da prisão de oito pessoas e da apreensão de 147 ingressos falsificados para o jogo entre Cruzeiro e Grêmio, a Polícia Civil faz um alerta, pois ainda podem existir mais bilhetes falsos nas mãos de outros cambistas. Dois fatores foram apontados pela polícia para a identificação desses bilhetes. “Os ingressos apreendidos são do portão C, que é uma entrada exclusiva para os sócios-torcedores do Cruzeiro. Não são produzidos ingressos de papel para esse setor. Os torcedores só entram mediante apresentação do cartão de sócio”, declarou o delegado da Polícia de Eventos Felipe Falles. Dois torcedores, segundo o delegado, teriam procurado a polícia para informar sobre os ingressos falsos e afirmaram que gastaram cerca de R$ 800 nos ingressos. Apesar de todos os ingressos apreendidos serem do portão C, o policial orientou que as pessoas não comprem ingressos de cambistas. “Nada impede também que outros setores possam ter sido falsificados. A dica primária e básica é comprar ingresso na bilheteria e nos postos de venda oficiais do clube”, afirmou. O delegado acredita que os presos façam parte de uma quadrilha que atua em vários lugares do Brasil e em outros tipos de eventos além do futebol. “Tudo indica que esses ingressos estão sendo confeccionados em São Paulo”, disse. Falles contou que os bilhetes teriam sido passados por Marcelo Francisco de Souza, 37, que rondava a região do Mineirão em um veículo com placa de São Paulo, oferecendo os ingressos. Ele usava a foto de um jornal, que trazia a imagem de um ingresso para afirmar que as entradas eram verdadeiras. “Todos (os presos) narraram que o Marcelo, identificado pelo documento de identidade que encontramos dentro do carro do Ronaldo Rocha Vicente, 34, o Paulista, que foi preso, vendia esses ingressos por R$ 100, e os cambistas revendiam por R$ 200, R$ 250 para os torcedores. Identificamos o Ronaldo, fomos até o hotel onde ele estava hospedado e lá encontramos mais ingressos falsificados”, disse o delegado Falles. (BT) Estatuto Pena. Os oito presos vão responder por falsificação de documento particular, associação criminosa, estelionato e atuação de cambista, conforme o Estatuto do Torcedor. A pena varia de 4 a 15 anos de reclusão. Kleber diz que meta é adiar a festa celeste Porto Alegre. O Grêmio jogará em Belo Horizonte amanhã, com um objetivo definido: adiar a festa do adversário pelo título do Campeonato Brasileiro. Ninguém discorda no time gaúcho que a conquista esteja em mãos mineiras, mas a meta é evitar que ela seja sacramentada já neste final de semana. Para isso, o atacante Kleber não quer saber de outro resultado que não seja a vitória, mesmo fora de casa. “O Cruzeiro é muito especial para mim. Tenho o clube no coração, porque vivi momentos maravilhosos profissionalmente e pessoalmente lá. Acrescentou muito na minha vida e sou grato por isso. Mas meu objetivo também é grande no Grêmio. Todo mundo sabe que o Cruzeiro será campeão, mas podemos adiar isso mais uma rodada”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave