Trans-Amazônia: viagem pelo Norte do país

Bailarino Tiago Gambogi, estreia trabalho no qual mostra a região amazônica, seus mitos e seus problemas

iG Minas Gerais | Gustavo Rocha |

Guto Muniz
Bailarino buscou a técnica do pole dance para explorar sua faceta feminina
A rodovia Transamazônica, com seus 4.223 quilômetros de extensão é a terceira maior rodovia do país. Percorrer esse longo trajeto foi a ideia inicial do bailarino e palhaço Tiago Gambogi, resultando no espetáculo “Trans-Amazônia”, que estreia hoje, às 21h, na Funarte, dentro da programação do FID. Em 2011, Tiago Gambogi começou uma expedição, passando por sete estados para reconhecimento da realidade vivida por essas pessoas que vivem à beira da rodovia. “Eu tinha uma ideia ligada ao meio-ambiente e procurei pessoas que pudessem falar sobre essa realidade. Viajei completamente aberto à criação. Não sabia exatamente o que iria encontrar”, garante Tiago. O bailarino contou com apoio financeiro para a expedição através do Fundo Municipal de Cultura. “Durante a viagem, meu dinheiro acabou e consegui um trabalho como tradutor para um jornalista estrangeiro que cobria a confusão em torno da construção da hidrelétrica de Belo Monte. Essa é uma das questões que abordo no espetáculo. Essa Amazônia das empreiteiras, da extração”, explica Tiago. A rodovia transamazônica, com sua característica eminentemente vertical – árvores centenárias gigantescas e os postes de energia elétrica –, interferiu na concepção do espetáculo. Tiago encontrou no pole dance, técnica típica do strip tease que ganha adeptos, principalmente mulheres, como prática física esportiva para criação de uma faceta andrógina, homem e mulher de seu espetáculo. O bailarino desconstrói essa imagem da natureza exuberante e de pureza da floresta tropical. “A Amazônia é um lixo. Lixo para todo lado. Tudo acaba em lixo. O urubu é o animal símbolo da região, eu os via por toda parte. Levei essa sujeira das embalagens descartáveis também para o palco”, ressalta Tiago. Serviço. 1 Estreia de “Trans-Amazônia” de Tiago Gambogi. Hoje, às 21h, e amanhã, às 19h, na Funarte (rua Januária, 68, Floresta). Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave