UFJF quer vitória sobre Funvic-Taubaté para entrar no G-8

Time da Zona da Mata vai até o interior paulista para fazer, neste sábado, último jogo antes da pausa na Superliga

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

DIVULGAÇÃO - UFJF
Time da Zona da Mata quer buscar segunda vitória na competição contra adversário direto na briga pelo G-8
Um duelo entre integrantes da parte de baixo da tabela também tem tudo para ser equilibrado e levar ao público muita emoção. É o que Funvic-Taubaté-SP e UFJF esperam fazer na noite deste sábado, às 21h30, no interior paulista, em jogo válido pela sexta rodada. A partida será a última da Superliga masculina de vôlei antes da pausa, em virtude da participação da seleção brasileira na Copa dos Campeões, no Japão. Com uma vitória em quatro jogos, a UFJF, em nono lugar,  quer vencer para abrir vantagem para os concorrentes diretos por vaga no G-8. O jogo é uma boa oportunidade de mais um triunfo, já que terá pela frente um time de nível parecido. Uma vitória contra o atual lanterna garante a sétima posição. “É um jogo muito importante, porque nos qualifica dentro dos oito. Dos seis jogos que disputamos, enfrentamos Montes Claros Vôlei e agora Funvic-Taubaté de adversários diretos. As outras equipes estão acima em termos de investimento e de valores no elenco, certamente”, lembra o técnico Chiquita, da UFJF, mostrando a importância da partida. A equipe da Zona da Mata, que já perdeu para fortes times como Sada Cruzeiro, RJX-RJ e Vivo-Minas, mostra evolução no torneio, segundo o treinador. “Temos trabalhado muito o saque, o ataque e o contra-ataque, e a equipe tem melhorado. No início, oscilamos muito, mas agora conseguimos equilibrar mais. Além disso, estamos contando com o retorno de alguns jogadores lesionados, e precisamos estabilizar esses jogadores dentro da equipe”, comemora o comandante. Pelo lado do Taubaté, a necessidade da primeira vitória após cinco jogos sem pontuar. O time ainda sofre com os desfalques, que não podem ajudar o time a ter melhores atuações. “Tivemos muitos problemas de lesão, de aprimoramento da parte física. Esperamos pelo Contreras, pelo Leandrão, o próprio Giba, que ainda busca sua melhor condição. Estivemos trabalhando com apenas três ponteiros. Mas estamos otimistas. Sabemos que o time da UFJF é muito bem formado, mas temos confiança que podemos alcançar essa vitória”, afirma o técnico Cézar Douglas, que começou o campeonato à frente do São Bernardo. Presenças no time de Taubaté animam elenco em busca da primeira vitória O técnico do Funvic-Taubaté terá a presença de jogadores que poderão dar sua contribuição no jogo deste sábado. Um deles é um estrangeiro recém-contratado. "A chegada do Dan McDonnel, central norte-americano, é mais um fator que nos leva a acreditar que esse grupo tem todas as condições de crescer”, comenta Cézar Douglas. Além de Dan, o técnico também pode ter à disposição o jovem levantador Quaresma, que ficou de fora do Mundial sub-23 da categoria em virtude de uma lesão no dedo mindinho da mão direita, quebrado em duas partes. “A parte mais difícil foi perder o Mundial, além de perder também o começo de Superliga e o ritmo de jogo. Preciso proteger bem o dedo com esparadrapo e esperar calcificar totalmente. Estamos treinando duro, todos os dias, focados neste próximo jogo", declara o armador. UFJF anuncia reposição de peça Para substituir o central Diego, que foi para o Almeria Volley, da Espanha, a UFJF buscou Ninão, que jogou a última Superliga B pelo Climed-Atibaia-SP. Ele começou na base do Sada Cruzeiro e passou pelo Sport de Recife. Ninão tem 22 anos e mede 2,05m. “Tenho grandes amigos aqui dos tempos da base como o Lucão, Hugo e o Danilo Gelinski. A cidade é bacana, tem muitos jovens. Quero jogar o meu melhor para ajudar a equipe a conseguir a classificação para os playoffs”, afirma o jogador.