Boullier e Prost defendem corte de custos para F1

Chefe da Lotus afirmou que maior parte das equipes vêm sofrendo com os gastos excessivos

iG Minas Gerais | Da Redação |

NEIL NEWITT/AP PHOTO - 1.3.200
undefined
A falta de pagamento dos salários de Kimi Raikkonen pela Lotus levantou mais uma vez a discussão sobre os orçamentos milionários das equipes da F1. Os dirigentes afirmam que grande parte das escuderias está sofrendo com os gastos ao longo das temporadas. Os novos motores V6 turbo, que serão adotados no ano que vem, também vão aumentar os gastos dos times. O ex-piloto Alan Prost acredita que mudanças já deveriam ter sido tomadas para resolver o problema. "Creio que já é tarde, mas nunca é tarde demais, com certeza. Acho que os orçamentos são muito altos considerando os patrocinadores. Existem muitas coisas que deveriam ter sido feitas há muito tempo. Mas também é uma competição, e fica difícil parar alguém que quer gastar mais dinheiro. Então, se você não consegue parar isso, o que acho ser muito difícil de fazer, você precisa encontrar outras ideias. As equipes gastam muito em aerodinâmica e, em minha opinião, nunca consegui entender o motivo de darem tanta importância para isso", afirmou Prost. Outro que também comentou o caso, foi o chefe da Lotus, Éric Boullier. Ele reconheceu que não é somente a escuderia dele que está sofrendo com os gastos abusivos. “Estamos com os holofotes em nós, mas não somos os únicos. Acredito que a maior parte dos times do grid, se não tivessem os acionistas comprometidos financeiramente, estariam mortos há muito tempo. Todos sabem e concordam que os custos são muito altos na F1. Mas infelizmente, para ser competitivo, você precisa gastar ao menos o mínimo, mesmo que esse mínimo seja a metade das equipes de ponta. Ainda assim é muito dinheiro e não é sustentável”, disse o dirigente. No entanto, o diretor-executivo da Mercedes, Toto Wolff, acredita que cada equipe tem a responsabilidade de não estourar os orçamentos e não defende alterações para a F1. " Não é o que queremos ver, e é uma questão de como você controla os seus negócios. Mas para mim parece estranho. Nunca passei por situação semelhante ou vi esse tipo de cenário, e fico imaginando o motivo das pessoas não estarem pagando seus funcionários. Se é verdade ou não, é apenas incompreensível", completou.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave