O impossível vira realidade

Desconfiança por uma parte da Massa ainda está presente, mas, aos poucos, vai sendo vencida

iG Minas Gerais | Fernando Almeida |

Leo Fontes 29.9.2013
Sonho realizado. Marcos Rocha sempre quis jogar o Mundial, mas não acreditava na possibilidade
Contestado por parte da torcida do Atlético, Marcos Rocha já cansou de dar a resposta em campo, e o Mundial de Clubes poderá ser o auge do lateral-direito alvinegro para, finalmente, calar seus críticos. A temporada de 2013 vem sendo um ano de realizações para o jovem atleta, com a convocação para a seleção brasileira e o título da Copa Libertadores, o maior da história do clube no qual ele foi formado.   Marcos Rocha deixa claro para quem deseja ouvir que disputar o Mundial de Clubes com a camisa atleticana é um sonho que ele pensava ser impossível. As críticas vieram desde a sua ascensão para o profissional, fato – entre outras questões – que o levou a deixar o Galo por pouco mais de três anos, e o seu retorno foi igualmente penoso. O desejo do lateral é viver a melhor fase de sua carreira em terras africanas e voltar a Belo Horizonte com o título de melhor equipe do mundo. “A minha volta ao Atlético também foi um pouco duvidosa, algumas pessoas não queriam que eu voltasse, uns falaram que eu só jogava em time pequeno, não que o América seja pequeno, mas essas dúvidas sempre deixam o jogador um pouco ansioso para ele mesmo saber o que vai apresentar. Graças a Deus e com o apoio da minha família e das pessoas que acreditaram em mim, eu pude dar a volta por cima. Já são dois anos que eu sou titular do Atlético”, ressaltou o lateral-direito a .O TEMPO O sonho de disputar uma competição tão importante nem sequer chegou a ser cogitado pelo jovem atleta de 24 anos, mas as boas atuações na Libertadores e o contínuo crescimento junto à equipe alvinegra no primeiro semestre foram tornando esse objetivo cada vez mais palpável, e a tão chegada hora está se aproximando. “Para ser sincero, eu nunca sonhei em disputar o Mundial. O trabalho feito no Atlético nos deixa sonhar com a conquista do Mundial. Por ser da base isso é grande para a gente. Me sinto realizado dentro do Atlético hoje. São oito jogos até o fim do ano e é trabalhar forte para meu sonho ser realizado”, completou Marcos Rocha, em entrevista coletiva. A ânsia do camisa 2 do Galo é mais uma vez mostrar as qualidades que o levaram a ser lembrado por Luiz Felipe Scolari para a seleção em abril, mesmo sabendo das dificuldades de ter à frente grandes clubes como o mexicano Monterrey e o alemão Bayern de Munique. “O ataque sempre foi o meu forte, sempre gosto de chegar com perigo. Eu acredito muito na qualidade do meu passe, principalmente, o lançamento. Espero que isto possa fazer a diferença no fim do ano”, comentou. Marrocos. O Atlético deixará Belo Horizonte no dia 9 de dezembro rumo a Marrakech. Cinco dias depois, os jogadores do Galo poderão ver ao vivo o jogo que definirá o seu adversário da semifinal do Mundial de Clubes. A estreia alvinegra na competição está marcada para as 16h30 (horário de Brasília) do dia 18 de dezembro, com a decisão do título agendada para o dia 21 do mesmo mês, data em que todos os torcedores alvinegros esperam ter motivos para comemorar, quem sabe, com uma boa jogada de Marcos Rocha ou até um gol do lateral-direito. Até lá, a promessa é de estudar bastante os adversários para que não exista espaço para surpresas desagradáveis no caminho do título inédito para o Galo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave