Secretaria também investiga servidor

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) abriu um processo administrativo para investigar as denúncias de atos ilícitos do ex-diretor de segurança do presídio de Sacramento, no Triângulo Mineiro, Paulo Giovani de Castro. A corregedoria da secretaria investiga o caso desde abril deste ano, quando surgiram as primeiras denúncias de tortura e abuso de poder.   O ex-servidor foi transferido para a penitenciária de Araxá, no Alto Paranaíba, em abril, onde trabalha como agente penitenciário. Ele só poderá ser punido administrativamente após da conclusão do processo da Seds. Já o ex-diretor geral do presídio, Aparecido Alves Claudino, tinha cargo comissionado e foi exonerado. Portanto, como ele já está fora do sistema prisional, não está sendo investigado pelo processo administrativo. A pasta informou que a exoneração foi uma “conveniência administrativa”, e que ela não tem vínculo com as investigações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave