Sacríficio e prisão em plena costa africana

Baseado em fatos reais, “Capitão Phillips”, de Paul Greengrass, conta com o brilhante Tom Hanks no papel principal

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Hopper Stone
Tom Hanks dá vida ao capitão que tem navio tomado por piratas somalianos
Um dos principais riscos que uma adaptação de um livro para o cinema corre é a de não conseguir prender a atenção do espectador, que tem nas mãos a possibilidade de assistir ao filme já sabendo do final da história. Esse risco passou longe de “Capitão Phillips”, que estreia hoje nas salas de cinema. Baseado no best-seller “A Captain’s Duty: Somali Pirates, Navy SEALS, and Dangerous Days at Sea”, de Richard Phillips e Stephan Talty, o longa-metragem conta a história do capitão Richard Phillips (Tom Hanks), que sai de sua pacata casa em Vermont, nos Estados Unidos, para uma viagem pela costa africana. Próximo as águas da Somália, ele é alertado sobre a incidência de piratas que saqueiam embarcações internacionais na região. Em alguns casos, esses piratas são apenas pescadores que, entregues à miséria e à coerção de “coronéis” regionais, iniciam-se na vida criminosa. É o que acontece com Muse (Barkhad Abdi). O somaliano e sua tripulação são os responsáveis pelo assalto ao Maersk Alabama, navio de carga comandado por Phillips. Mas os planos de Muse saem do controle à medida que o capitão espertamente tenta conduzir o assalto para um breve fim. A partir desse ponto, a relação entre Muse e Phillips sustenta uma proeza do filme: manter tensão constante, e, por vezes, claustrofóbica tanto para quem já conhece a história quanto para aqueles que sequer conheciam o enredo. Provando, assim, que a surpresa não é o único ingrediente para um bom suspense. No pano de fundo, o filme mostra temas pertinentes ao mundo contemporâneo ao expor os complexos efeitos da globalização em países subdesenvolvidos como a miséria. Tudo isso contando com a segura atuação de Tom Hanks, que juntamente com a direção de Paul Greengrass, fazem de “Capitão Phillips” não só um forte indicado ao Oscar, mas um dos melhores thrillers de suspense da temporada.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave