Dívidas causam muita dor de cabeça

iG Minas Gerais | Dr. Telmo Diniz |

Pessoas endividadas são três vezes mais propensas a ter um problema de saúde mental do que aquelas que estão com as contas em dia. Pesquisadores das universidades de Southampton e Kingston, no Reino Unido, fizeram uma revisão sistemática em todas as pesquisas anteriores que analisaram a relação entre problemas de saúde mental e dívidas. A equipe descobriu que as pessoas endividadas são mais propensas a sofrer de depressão, dependência de drogas e psicose. Os resultados também sugerem que quem morre por suicídio tem maior propensão de estar com dívidas pendentes. Outro dado da pesquisa dá conta de que apenas 9% dos participantes sem problemas de saúde mental estavam com dívidas, em comparação com mais de 25% dos participantes endividados que apresentavam um problema de saúde mental. Em outra recente pesquisa feita pela Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, constatou-se que o fato de ter dívidas está relacionado com o aumento da pressão arterial. Foram avaliados dados referentes a 8.400 jovens adultos com idades entre 24 e 32 anos, que relataram ter uma percepção pior sobre seu próprio estado geral de saúde, além de apresentarem maior risco de estresse e depressão. A pesquisa concluiu que aqueles que relatavam ter dívidas maiores tinham um aumento médio significativo da pressão arterial diastólica. Os mais endividados também apresentaram um nível de estresse 12% maior do que a média. Sintomas depressivos apareceram com uma frequência 13% maior nesse grupo. Vamos a um raciocino fisiológico que me parece lógico. Uma pessoa endividada está constantemente preocupada em sanar suas questões financeiras. Com isso, o seu organismo libera o hormônio do estresse, chamado de cortisol. Ele, por sua vez, provoca uma série de eventos: retenção de líquidos, aumento de peso corporal, aumento da glicemia com tendência ao diabetes, aumento da pressão arterial etc. Uma pessoa com dívidas, em especial aquelas que não conseguem quitá-las, entram em um processo de estresse crônico, o que desencadeia desequilíbrios e doenças. Não me surpreenderia se surgirem pesquisas que comprovem um maior número de infartos e derrames cerebrais em pessoas com a conta no vermelho. Retomar o controle de sua vida financeira e melhorar sua qualidade de vida e relações no dia a dia é o desejo de muitos que se encontram com a sua situação financeira comprometida com tantas dívidas e não veem saídas para quitar esses compromissos. E o pior! Já estão tendo prejuízos para o corpo e a alma. O final do ano está chegando e, com ele, o 13º salário. Então, aproveite para quitar seus débitos e entrar em 2014 mais tranquilo e com mais saúde. Isso não é uma ordem médica e, sim, um conselho. Boa semana a todos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave