Ideia desafia inovações tecnológicas

iG Minas Gerais |

Bend. O projeto do planador mescla desempenho e segurança. Acima dos 15.240 m de altitude, a pressão do ar é tão baixa que seria impossível para o piloto respirar, mesmo que estivesse com uma máscara de oxigênio. O sistema do planador será enganado pela atmosfera fina e mostrará uma velocidade de cruzeiro de 74 km por hora, aproximadamente o que ele precisa para planar. Todavia, para receber essa leitura em um ar tão rarefeito, a velocidade real deverá ser de 540 km por hora. Além disso, a altitude também gera outras complicações. Uma delas é a necessidade de pressurizar a cabine para que os pulmões humanos resistam à pressão – algo que outros aviões fazem com a ajuda de um motor. A solução é vedar a minúscula cabine à medida que o planador sobe e deixar um pouco de ar escapar por uma válvula para que a pressão da cabine imite a de 4.400 m de altitude. ( MLW/NYT )

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave