Desvio de mais armas reforça a suspeita de descontrole

Boletins comprovam que pistola e revólver capturados voltaram às ruas de Minas

iG Minas Gerais | dayse resende |

ALEX DE JESUS/O TEMPO
Flagrantes. Casos ocorreram em outubro, em Betim, e em setembro, em Conceição do Mato Dentro
A reportagem de O TEMPO teve acesso a duas ocorrências que reforçam a suspeita de falta de controle sobre o destino de armas de fogo apreendidas no Estado. Uma pistola calibre 9 mm, apreendida em 12 de junho deste ano, no bairro Guanabara, em Betim, na região metropolitana, voltou às ruas. No último dia 23 de outubro, durante patrulhamento de rotina no bairro Jardim Teresópolis, na mesma cidade, a arma foi apreendida na casa de Marcos Henrique Souza. Em outra ocorrência, no dia 12 do mês anterior, um revólver calibre 38 da marca Taurus, que havia sido recolhido pela Polícia Militar (PM) em 17 de julho, em Conceição do Mato Dentro, na região metropolitana de Belo Horizonte, voltou a ser apreendido, desta vez pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os dois novos casos reforçam a suspeita de que há um suposto comércio ilegal de armamento no Estado, que abastece grupos criminosos. Conforme O TEMPO publicou na última segunda-feira, uma arma apreendida em Betim, em 2010, foi encontrada por militares neste ano, com cinco suspeitos de tráfico em Ribeirão das Neves, também na região metropolitana. Com exclusividade, a reportagem teve acesso a ocorrências que revelam a fragilidade do sistema que envolve as polícias Militar (PM) e Civil e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que deveriam impedir o retorno do armamento apreendido às ruas. Em nota oficial divulgada na última terça-feira, a Polícia Civil afirma que a pistola a que se refere a reportagem integrava um lote de cerca de 300 armas furtadas no Fórum de Betim, em 30 de julho deste ano. “Conforme já apurado, entre as armas furtadas estava a pistola de um policial militar que havia sido apreendida em 2010 pela Polícia Civil e encontrada em setembro, com supostos criminosos em Ribeirão das Neves. A apreensão em 2010 ocorreu em Betim”, destacou o texto. O caso está sendo investigado pela Delegacia Regional de Betim, com base no inquérito número 026/2013. Segundo informações extraoficiais, o roubo teria ocorrido durante a mudança de local da sede do Fórum, antes localizado na avenida Governador Valadares, no centro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave