Estudantes mudam rotina de estudos

iG Minas Gerais | Pedro Grossi |

Além de provocar mudanças no calendário das escolas, na administração do corpo de professores e no quadro de horários das instituições, as constantes mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também forçam alterações na rotina de estudo dos candidatos e na sua relação com o conteúdo ensinado. Como metade do Enem é composta por questões de matemática e português, essas disciplinas precisaram ser reforçadas na grade de horário das escolas. O conteúdo cobrado é, agora, menos específico e mais conceitual, interligando as disciplinas. “Quem antes estudava decorando fórmulas agora precisa se dedicar mais à interpretação de texto”, diz a estudante Thais Dantas, 26, que, pelo quarto ano, tenta uma vaga em uma escola de medicina. Thais e as amigas Raniely Martins, 27, e Aline Rodrigues, 24, são exemplos de alunos que deixam o cursinho após o Enem. “Ainda não sei o resultado, e estamos aproveitando o tempo para estudar em conjunto conteúdos específicos”, conta Thais. Após seu quarto Enem, Thais diz que ainda sente um descompasso entre a prova e o ensino nas escolas. “Acho que os professores ainda estão entendendo a prova, e as escolas, buscando a melhor forma de passar o conteúdo”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave