Futsal Fest volta ao Mineirinho com novas estrelas confirmadas

Euller, que jogou pelo Atlético, Amoro, ex-São Paulo e Jorginho, campeão do futebol de areia, estarão no evento que acontece no dia 26 de novembro

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

PEDRO GONTIJO / O TEMPO
ESPORTES: BELO HORIZONTE/MG: LANCAMENTO DO FUTSAL FEST Jogo beneficiente que ocorrera no dia 26 de novembro entre ex jogadores de futsal e convidados. A partida de abertura sera um jogo entre dependendes quimicos em tratamento e moradores de rua. NA FOTO: Eros Biondini, Secretario da SEEJ FOTO: PEDRO GONTIJO / O TEMPO / 07.11.2013
A segunda edição do Futsal Fest, jogo beneficentes das estrelas do futsal, terá novidades. O evento está marcado para acontecer no dia 26 de novembro, no Mineirinho, e terá transmissão de televisão e atletas de outras modalidades. As preliminares terão a presença dos dependentes químicos em tratamento, como foi no último ano, e ainda de moradores de rua, que vivem na região da Lagoinha. Embaixador do jogo, o ex-jogador Manoel Tobias, que jogou no time campeão de futsal do Atlético em 1999, adiantou  nomes que estarão em Belo Horizonte. “Euller e Marques, ex-jogadores de campo do Galo, Amoroso, ex-São Paulo, Falcão, da seleção de futsal, e ainda o Jorginho, do futebol de areia, irão participar. Para não ficar sempre os mesmos, vamos variar. Queríamos o Ronaldinho, mas ele está machucado”, explicou Tobias. Segundo ele, a ideia de fazer uma partida semelhante ao famoso jogo das estrelas do futebol, repercutiu muito bem no mundo do futsal, até mesmo fora do país. “Ano passado, logo após o jogo, alguns jogadores já vieram até mim para perguntar se teria outro. Hoje, o mundo sabe que terá este evento. Pensamos até em trazer nomes de fora, da  Espanha e da seleção russa, mas infelizmente eles não puderam vir por conta do calendário”, afirmou. Para o secretário de Esporte e da Juventude Eros Biondini, o Futsal Fest tem um papel muito importante para o cenário mineiro, especialmente no que diz respeito à inclusão social. “Os dependentes começam a trocar a pedra de crack pela bola. Assim, eles começam a ter noção do que é doping, de que não podem entrar em quadra drogados ou embriagados”, disse. Tobias, que tem escolinhas de futsal no Nordeste, também comentou o assunto. “Posso falar disso porque também fui incluído pelo esporte. Vamos marcar um golaço pela inclusão social”, completou.