Falhas de segurança causaram morte em GP do Canadá, aponta relatório

Acidente foi em junho deste ano. Organizadores da prova foram responsabilizados por fatalidade

iG Minas Gerais | Da Redaçao |

Divulgação
Fiscal foi atropelado por guindaste enquanto carro da Sauber era recolhido
A Comissão para Saúde e Segurança dos Trabalhadores de Quebec (CSST) concluiu o relatório que culpa os organizadores do GP do Canadá de F1 pela morte do fiscal de prova Robinson, 38, em junho deste ano. Ele tropeçou ao tentar pegar o comunicador e foi atropelado pelo guindaste que removia a Sauber de Esteban Gutiérrez da pista.  A Comissão explica que o veículo de remoção estava andando muito rápido, a 11 km/h, e o monoposto estava erguido muito alto, a mais de dois metros do chão. De acordo com o relatório, ninguém poderia estar próximo à grua durante a operação, mesmo que um fiscal normalmente seja utilizado para estabilizar o carro que está sendo retirado. Os organizadores do GP do Canadá já acataram as recomendações propostas e medidas vão ser tomadas posteriormente. Eles também devem ser multados, mas o valor ainda não foi definido. 

Leia tudo sobre: Morte Fiscal F1F1GP do Canadáautomobilismo