'Agora dá para sonhar com o título', diz Jayme no Flamengo

Treinador efetivado após saída de Mano Menezes aproveitou para desabafar e alfinetar os críticos

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

REPRODUÇÃO/FLAMENGO
Flamengo conseguiu uma boa vantagem, mas Jayme não acha que a classificação está garantida
Depois de o Flamengo vencer o Goiás por 2 a 1, de virada, no Maracanã, e garantir vaga na final da Copa do Brasil, o técnico Jayme de Almeida enfim se vê próximo de conquistar o título da competição nacional. Nas fases anteriores da competição, o treinador exibiu um discurso mais cauteloso e humilde ao projetar o objetivo, mas a sequência de triunfos sobre rivais de peso deixou comandante confiante na conquista da taça na decisão diante do Atlético-PR. O treinador, que nesta temporada foi efetivado no cargo após o surpreendente pedido de demissão de Mano Menezes, até alfinetou os críticos que apostavam em uma queda do Flamengo diante de outros rivais que apareceram pela frente no torneio nacional. "Agora dá para sonhar com o título, mesmo sabendo que será difícil conquistá-lo, já que os dois times têm condições de ganhar. Muita gente falou que seríamos eliminados por Cruzeiro, Botafogo e Goiás, mas fomos passando, avançando e estamos na final da Copa do Brasil. É gratificante ver o esforço, trabalho e determinação dos jogadores, que abraçaram a ideia de voltar a fazer com que o Flamengo seja forte. O sonho do título é viável e vamos lutar por ele", ressaltou Jayme. O comandante também destacou que o time rubro-negro exibiu força mental e qualidade técnica para virar o placar rapidamente, depois de ter tomado o primeiro gol já aos 5 minutos do primeiro tempo. "A maior virtude do Flamengo foi não se abater com o gol sofrido. Os jogadores pegaram a bola, a colocaram no centro do campo e fizeram um primeiro tempo de muita qualidade, com troca de passes e ataques pelo meio e pelas laterais. Isso foi muito legal e gratificante", reconheceu. Já Elias, que foi o autor do golaço que virou o placar, aos 24 minutos da etapa inicial, agradeceu aos torcedores flamenguistas que gritaram "Davi", nome do filho do volante, que acabou de se recuperar de uma pneumonia que o deixou dez dias internado em um hospital. "Essa torcida é uma das mais fanáticas. Eles gritaram o nome do meu filho e isso emociona. É fantástico esse reconhecimento. O jogador precisa de carinho e eu recebi muito apoio da nação (rubro-negra)", disse o jogador, que na comemoração do seu gol simulou o uso de uma máscara de oxigênio, em alusão ao problema de saúde enfrentado pelo seu filho.  

Leia tudo sobre: flamengojaymetecnicofinalcopa do brasilfutebol