Ponte busca vaga na semifinal

Equipe brasileira joga por um empate com gols e por uma vitória, pois jogo de ida acabou 0 a 0

iG Minas Gerais |

VICTOR SCHWANER / O TEMPO
Desafio. Técnico Jorginho pode levar a Ponte Preta a ficar entre os quatro melhores da Sul-Americana, mas corre risco no Brasileiro
A Ponte Preta confirmou nessa quarta-feira mais duas baixas – além do artilheiro William – para o jogo decisivo desta quinta-feira, às 20h15, contra o Vélez Sarsfield, em Buenos Aires, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. Machucados, o zagueiro Ferrón e o volante Fellipe Bastos foram vetados pelo departamento médico e não encaram os argentinos.Campinas. Ao contrário de todo elenco, que seguiu viagem para Buenos Aires, Fellipe Bastos e Ferrón retornaram para a cidade de Campinas (SP), onde darão sequência ao tratamento de suas respectivas lesões. Fellipe teve uma entorse no tornozelo direito durante a partida contra o Criciúma, no último final de semana, pelo Campeonato Brasileiro, e passará por um intensivo tratamento para se recuperar a tempo do jogo de domingo, contra o Vitória, no Moisés Lucarelli, pela 33ª rodada do Nacional, competição na qual a Ponte luta contra o fantasma do rebaixamento. Já Ferrón vinha se recuperando de uma lesão no tornozelo e, apesar de não ter viajado inicialmente a Criciúma, juntou-se ao grupo na segunda-feira, quando treinou normalmente. Na última terça, porém, voltou a sentir dores durante o treino e acabou vetado para o jogo diante dos argentinos. Para avançar às semifinais da Sul-Americana, a Ponte Preta – que ficou no 0 a 0 em Campinas – joga por qualquer vitória ou até um empate com gols no estádio José Amalfitani. Caso o placar se repita, a vaga será decidida nos pênaltis. “É uma fase diferente, afinal, é uma competição histórica para a Ponte. Nós estamos com muita vontade de seguir adiante. O time deles toca bem a bola, mas o nosso é mais agressivo e incisivo. Temos de ter inteligência para não levar gol no começo e buscar um contra-ataque”, disse o meia Adrianinho ao globoesporte.com sobre a pressão pelo primeiro título da história da equipe de Campinas. É a primeira vez que a Ponte Preta disputa uma competição internacional. “O meu desejo é o mesmo do torcedor: conquistar um título de expressão, apesar de eu achar que a Ponte não precisa disso para ser grande. Já tem uma história cheia de glórias, linda, com muita tradição e uma torcida apaixonada. Já vale muito. É claro que uma conquista engrandece, mas a Ponte é grande mesmo sem título”, completa o atleta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave