Juiz nega sumiço de armamento

iG Minas Gerais |

O diretor do Foro de Betim, o juiz Magid Láuar, negou que 300 armas tenham sido furtadas na unidade, apesar de ele reconhecer que desvios podem ocorrer. “Eu não sei em quais dados a Polícia Civil se baseou para passar essa informação. O que ocorre é que os projéteis (balas) também são considerados armas e, por isso, a corporação pode ter chegado a esse índice. No entanto, o sumiço de armas é comum em todo o país”, disse. Lauar informou ainda que as armas entregues à Justiça são encaminhadas, imediatamente, à PM para serem encaminhadas ao Exército. Uma maneira de saber se o que é apreendido chega ao TJMG seria por meio da comparação entre o número de armas recolhidas pela PM e o total recebido pela Justiça. Segundo a Seds, os militares apreenderam 214 armas em Betim, entre janeiro e agosto deste ano. Já o tribunal não diz quantas armas recebeu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave