Delegado reclama que falta efetivo

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |

Além da greve dos investigadores, que durou mais de 120 dias neste ano, o delegado Álvaro Huertas diz que um dos problemas da polícia no combate aos crimes é a redução do efetivo. Segundo ele, esse é um dos empecilhos para a conclusão de inquéritos em Betim e, consequentemente, para a prisão dos criminosos. “Em 2010 tínhamos quatro delegados e 35 policiais trabalhando na Delegacia de Homicídios de Betim. Neste ano temos apenas dois delegados e 25 investigadores”. Segundo a Seds, os dados do governo do Estado divergem dos da Delegacia de Homicídios porque o balanço mensal é feito com base apenas em ocorrências policiais e, não, em inquéritos concluídos. Já o chefe do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção a Pessoa, Vagner Pinto, informou que a equipe da Delegacia de Homicídios de Betim perdeu apenas um delegado, Kleyverson Rezende, que assumiu a Delegacia Regional. Pinto informou ainda que a previsão é a de que um novo delegado seja designado nos próximos dias para recompor a equipe.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave