Na tela grande, carreira teve início em 1947

iG Minas Gerais |

RIO DA JANEIRO. De acordo com depoimento que o ator Jorge Dória deu para o acerco do Memória Globo, da Rede Globo, em 2002, sua estreia no cinema foi no melodrama “Mãe”, de 1947, do radialista Teófilo Barros. No ano seguinte trabalhou em “Inconfidência Mineira”, dirigido por Carmen Santos. Já em 1962 participou do longa-metragem “O Assalto ao Trem Pagador”, de Roberto Farias, pelo qual recebe o Prêmio Saci de Melhor Ator Coadjuvante. Ele atuou também em “Asfalto Selvagem” (1964), proibido pela censura, e “O Beijo” (1965), ambos adaptações de textos de Nelson Rodrigues, bem como em pornochanchadas da década de 1970 e, mais recentemente, em “O Homem do Ano” (2003). Dentre outros filmes que marcam sua passagem pelo cinema estão: “Traição” (1998), “A Dama do Cine Shanghai” (1987), “Pedro Mico” (1985), “O Sequestro” (1981), “Perdoa-me por me Traíres (1980), “Assim Era a Pornochanchada”. Em “A Dama do Lotação” (1978), viveu Dr. Alexandre, sogro da protagonista Solange (Sônia Braga).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave