Defesa traçada pelo jurídico

Contrato de trabalho com o clube em data anterior à janela e casos anteriores são apostas do Galo

iG Minas Gerais | Fernando Almeida |

undefined
Peça fundamental no esquema do Atlético, Fernandinho corre o risco de ficar fora do Mundial, mas a diretoria alvinegra se articula para impedir que o veto do meia seja uma realidade no próximo dia 29, quando a lista final para o torneio será divulgada pela Fifa. A defesa atleticana para garantir Fernandinho, Dátolo e Emerson foi entregue à Fifa em 25 de outubro com a lista dos 35 pré-convocados para o Mundial. O diretor jurídico do Galo, Lásaro Cândido da Cunha, conversou com e explicou alguns dos principais argumentos para tentar viabilizar a ida do dono da camisa 11 para o Marrocos.O TEMPO Um dos pontos indicados pelo advogado é um contrato trabalhista existente entre Atlético e Fernandinho concretizado antes de 20 de julho, data do fechamento da janela internacional brasileira – prazo usado pela Fifa para aprovar a inscrição de um jogador. “O contrato de trabalho, ou seja, que ele já integrava o quadro trabalhista do clube é de antes do fechamento. Isso, obviamente, também foi levado à Fifa, anexado no documento enviado no fim de outubro”, explicou Lásaro Cândido da Cunha. Outro fato explorado pelo Atlético foi o sucesso de outros clubes em inscrever atletas que não estavam no clube no prazo estabelecido pela Fifa para o Mundial. “Foram citados vários casos, vários precedentes de jogadores que foram inscritos no Mundial de Clubes mesmo estando fora do prazo; um deles é do Rentería, de 2011, inscrito pelo Santos. No nosso caso, há ainda especificidades, que também estão no documento que enviamos”, destacou. Nessa questão específica, jogadores brasileiros já foram barrados pela entidade máxima do futebol. O caso mais recente foi do volante Guilherme, do Corinthians, no ano passado. O jogador foi adquirido da Portuguesa em 15 de agosto – o prazo também era 20 de julho. CBF. O Atlético informa que o documento enviado pela CBF em relação ao possível veto de Fernandinho não é definitivo, mas sim para informar ao clube da chance de não contar com o jogador – fato já previamente conhecido. Dupla. Em relação a Emerson e Dátolo, a defesa alvinegra é diferente. Como ressalta o diretor jurídico, uma das ideias é colocar todas as equipes que participam do Mundial no mesmo patamar, tendo regras e datas iguais para inscrever seus jogadores. “A questão envolvendo Emerson e Dátolo é diferente. Não tem nada excepcional salvo a mudança de data de janela em questão da Copa das Confederações, fato que nos prejudicou. O Atlético também teria uma situação justificável a partir da regra de outras janelas, como a da Alemanha. Tem muito a ver e interpretar da regra. O árbitro da questão é a Fifa”, finalizou Lásaro Cândido da Cunha. Entenda o caso de Fernandinho 20/7/2013 Janela de transferências internacionais para o Brasil está fechada, impedindo a chegada de jogadores que tinham vínculo fora do país. 7/8/2013 Atlético anuncia contratação de Fernandinho, que teve contrato encerrado em junho com o Al-Jazira-EAU. O jogador estava federado no Desportivo Brasil, clube de empresários, e foi emprestado ao Galo por um ano. De acordo com o jurídico alvinegro, nesse período já havia vínculo trabalhista. A transferência, então, não seria internacional. 14/8/2013 Nome de Fernandinho sai no Boletim Informativo Diário (BID), liberando o atleta para jogar. Quatro dias depois, ele faz sua estreia contra o Inter, no Brasileiro. 25/10/2013 Atlético envia pré-lista com 35 inscritos para o Mundial de Clubes. A Fifa dará a resposta sobre quem pode jogar em 29 de novembro. 5/11/2013 CBF recebe ofício negando a inscrição de Fernandinho alegando que a contratação do jogador é internacional feita fora do período da janela de transferências.        

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave