"Tarado do Dona Clara" pode ficar até 118 anos na prisão

A pena pode ser ainda maior se o juiz entender que houve continuidade deletiva, ou seja, se ficar comprovado que Marcel praticou dois ou mais crimes da mesma espécie em um curto espaço de tempo

iG Minas Gerais | ALINE DINIZ |

Marcel Barbosa dos Santos, de 30 anos, que ficou conhecido como o “tarado do Dona Clara” pode ser  condenado a 118 anos de prisão. O promotor Renato Bretz Pereira entregou ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), na segunda-feira (4), a denúncia de abuso sexual contra Santos. A pena mínima sugerida é de 70 anos. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a pena pode ser ainda maior se o juiz entender que houve continuidade deletiva, ou seja, se ficar comprovado que Marcel praticou dois ou mais crimes da mesma espécie em um curto espaço de tempo ou em condições de espaço e maneira semelhantes. Isso significa, que Santos pode ter cometido mais de um abuso sexual em um dia. Além disso, os antecendentes, a conduta social e a personalidade do suspeito também podem aumentar o tempo de reclusão. Agora, o juiz da 8ª Vara Criminal de Belo Horizonte pode ou não aceitar a denúncia do Ministério Público. Crimes Pelo menos quatorze vítimas  registraram boletim de ocorrência contra o “tarado”. Entre elas está uma mulher que reconheceu Santos depois que ele foi apresentado pela Polícia Civil e que teria sido abusada por ele há sete anos. Em depoimento, Santos disse que teria começado a cometer os ataques há cerca de um mês. Os ataques a jovens com idades entre 12 e 17 anos começaram há cerca de 40 dias e ganharam repercussão após divulgação de moradores do bairro Dona Clara e Jaraguá na rede social Facebook. O suspeito era descrito pela vítima como um motociclista magro, alto, branco e com os olhos esverdeados, que atacava principalmente nas praças Santa Catarina Labouré e na Míriam Brandão. “Ele age no início da manhã e da tarde em locais movimentados. Conseguimos identificar a placa, mas ele tampou uma letra e um número”, explicou a mãe de uma das vítimas. Prisão Marcel Barbosa dos Santos, de 30 anos, foi preso no dia 29 de outubro, na garagem de um edifício, na avenida Isabel Bueno, no bairro Jaraguá, região da Pampulha. De acordo com o capitão Waldomiro Almeida, do 13º Batalhão da Polícia Militar, Santos não ofereceu resistência à prisão mas, a princípio, negou tudo. "Depois ele chorou, alegando não ser o monstro que todos pensam que ele é, e disse, ainda, que teria sido abusado por um primo quando criança".  À PM, ele confessou cometer os abusos desde setembro, e ainda que teria pensado em suicídio na manhã dessa terça-feira, temendo o desenrolar do caso.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave