Prefeitos se unem para reivindicar mais verba federal

Associação Mineira dos Municípios realiza fórum técnico

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Omar Freire/Imprensa MG
Ataques. Antonio Anastasia fez coro aos prefeitos criticando a concentração de poder com a União
Cerca de 600 prefeitos e gestores mineiros reforçaram ontem, durante o Fórum Técnico dos Municípios Mineiros, uma das principais e mais antigas reivindicações dos administradores: a revisão do pacto federativo. Diante de uma plateia repleta de prefeitos com dificuldades financeiras, diversos caciques tucanos como o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Toninho Andrada, o governador Antonio Anastasia, além do presidente da Assembleia do Estado, Dinis Pinheiro (PP), atacaram o governo federal e defenderam a candidatura do senador Aécio Neves à Presidência da República. Segundo Andrada, as cidades não têm autonomia ou recursos para desenvolverem políticas locais e os prefeitos se transformaram em “meros executores” de programas federais. “A cada dia somos surpreendidos com programas e leis do Congresso que descem goela abaixo. A solução é instrumentalizar e fortalecer os municípios”, disse ele, que é prefeito de Barbacena. Andrada afirmou que o orçamento dos municípios é muito comprometido com as contrapartidas dos convênios assinados pela União. Segundo ele, em média, os cofres municipais entram com 10% a 30% do valor das ações, como a do Programa Saúde da Família (PSF). Ainda de acordo com a AMM, a cada R$ 100 arrecadados no Brasil, só R$ 18,70 ficam nas cidades e, portanto, 70% da arrecadação nacional se concentram nas mãos do governo federal. O governador engrossou o coro e disse que é preciso coragem para “abrir mão do poder”. “Digo sempre, por dever de justiça, que esse quadro não é de agora. Existe há muitos anos e iniciou-se ainda no regime militar”. Anastasia disse que a responsabilidade do atual modelo centralizador é também do Congresso e da população que, segundo ele, deveria pressionar por mudanças. “O Congresso é o responsável, mas sabemos que, no processo político brasileiro, o Congresso tem a sua pauta sempre em sintonia com o poder Executivo.” Palanque. Em clima de campanha, Dinis Pinheiro atacou a gestão da presidente Dilma Rousseff sem citar o nome da petista. O deputado aproveitou a presença de prefeitos para fazer campanha para o presidente do PSDB, Aécio Neves. “O mineiro vai dar um grito destemido, patriótico, valente, ao lado dos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, esse grito se chama Aécio Neves, o próximo presidente da República. O Brasil esta andando para traz, parece que não tem compromisso com o futuro”, afirmou. Andrada negou que o evento tenha tido um tom eleitoral, mas disse que “quem se sentir atingido, paciência”. E ainda completou: “Não estamos focando na questão política agora”. Fórum Consultoria . Promovido pela AMM, o Fórum Técnico dos Municípios Mineiros termina amanhã. Os gestores receberão cartilhas e orientações sobre a administração pública em diversas áreas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave