Bíblia e a educação financeira

iG Minas Gerais |

Recebi de um leitor um e-mail trazendo algumas passagens bíblicas que remetem à educação financeira. Abaixo transcrevo algumas delas. A preocupação com os hábitos financeiros do homem é milenar. Provérbios 11.15: “Decerto sofrerá prejuízo aquele que fica por fiador do estranho; mas o que aborrece a fiança estará seguro”. Provérbios 22.26: “Não estejas entre os que se comprometem, que ficam por fiadores de dívidas”. Provérbios 21.20, sobre poupar: “Há tesouro precioso e azeite na casa do sábio; mas o homem insensato os devora”. Isaías 55.2 sobre gastos supérfluos: “Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e coei o que é bom, e deleitai-vos com a gordura”. Apóstolo Paulo condena o amor ao dinheiro: (não o dinheiro, mas o amor ao dinheiro – avareza). Timóteo 3.9,10: “Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e na perdição. Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores”. Também o Apóstolo Paulo nos orienta a não ter dívidas. Romanos 13.8: “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros”. Jesus cita uma parábola (comparação) com uso do planejamento: Lucas 14.28: “Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se senta primeiro a calcular as despesas, para ver se tem com que a acabar?”. Jesus cita uma parábola com uso e aplicação de dinheiro: Mateus 25:14 – 29: 14 “Porque é assim como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes entregou os seus bens”. 15 “A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade; e seguiu viagem”. 16 “O que recebera cinco talentos foi imediatamente negociar com eles, e ganhou outros cinco”. 17 “Da mesma sorte, o que recebera dois ganhou outros dois”. 18 “Mas o que recebera um foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor”. 19 “Ora, depois de muito tempo veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles”. 20 “Então, chegando o que recebera cinco talentos, apresentou-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco que ganhei”. 21 “Disse-lhe o seu senhor: ‘Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor’”. 22 “Chegando também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis aqui outros dois que ganhei”. 23 “Disse-lhe o seu senhor: ‘Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor’”. 24 “Chegando por fim o que recebera um talento, disse: ‘Senhor, eu te conhecia, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste, e recolhes onde não joeiraste’”. 25 “E, atemorizado, fui esconder na terra o teu talento; eis aqui tens o que é teu”. 26 “Ao que lhe respondeu o seu senhor: Servo mau e preguiçoso, sabias que ceifo onde não semeei, e recolho onde não joeirei?”. 27 “Devias, então, entregar o meu dinheiro aos banqueiros e, vindo eu, tê-lo-ia recebido com juros”. 28 “Tirai-lhe, pois, o talento e dai ao que tem os dez talentos”. 29 “Porque a todo o que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado”. Neste mês, iniciei uma promoção do livro “Meu Dinheiro”, buscando que mais pessoas possam adquiri-lo. Os leitores interessados podem me enviar um e-mail que retorno com as indicações de como proceder. No livro, são discutidos temas importantes sobre finanças pessoais de uma forma que ajude os leitores a melhorar o seu relacionamento com o dinheiro. Mandem dúvidas e sugestões para o e-mail carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave