T-Max 530

iG Minas Gerais | JOSÉ CARLOS ROBERTO |

ktm/divulgaçãoi
KTM 1290 Super Duke esportiva de dois cilindros em V e 180 cv
Com o trânsito de fluxo lento, o brasileiro finalmente está mudando de ideia em relação às motos. Ela já não é mais um veículo apenas de descontração nos fins de semana, mas um transporte alternativo, eficiente e ligeiro. Quem experimenta um scooter, então, dificilmente desagrada por conta do avançado câmbio CVT: basta acelerar. Dessa forma, todas as montadoras estão de olho no segmento scooter, que vem crescendo muito. A Yamaha aproveita o momento e lança o grande scooter T-Max 530 importado da Itália, que estará disponível a partir de dezembro. De visual diferenciado da maioria, com toques esportivos que remetem à superesportiva R-1, o scooter T-Max 530 é imponente e tem acabamento impecável (pude ver no salão Duas Rodas). Também é muito bem-equipado com dois freios a disco na frente e um atrás, para-brisa regulável e poltrona com encaixe para o piloto. O compartimento sobre o banco tem espaço para um capacete e mais alguns objetos. É menor para sobrar lugar para as rodas maiores de aro 15 polegadas que oferecem mais segurança com melhor estabilidade e dirigibilidade. Motor de dois O bitelo scooter tem motor de dois cilindros paralelos e refrigeração liquida. A potência de 46,5 cv a 6.750 rpm é acompanhada pelo excelente torque de 5.3 kgfm a 5.250 rpm, que incentiva para as viagens. Além do moderno chassi, o motor é um dos culpados pelo sucesso desse scooter na Europa, desde 2001 quando tinha apenas 500 cc. O T-Max 530 tem tanque para 15 litros que oferece ótima autonomia, uma vez que, estando superpreparado para o trânsito urbano, também tem motor para rodar nas rodovias. A Yamaha não anunciou, mas o preço do T-Max deve ficar perto dos R$ 40 mil, acima do valor do Burgamann 650, porém tem tecnologia superior e potência tecnicamente igual se comparado às medições dos motores de ambos. O T-Max 530 estará, até o fim do ano, na Moto Roma Yamaha: (31) 3508-6300. É bom esclarecer a quem compara o preço com uma moto, no mesmo patamar de cilindrada, que o scooter está para uma moto como o jipe para uma limusine. O conforto e a praticidade do câmbio automático é muito grande. Quem nunca pilotou um scooter de maior cilindrada, que não morra antes. Painel moderno Um dos mais completos do seu segmento, com facilidade para ver as inúmeras informações; sob o guidão tem porta-objetos e o para-brisa é regulável Motonotícias * A Suzuki vai apresentar no Salão de Tóquio uma moto com motor turbo de dois cilindros de 600 cc e 100 cv. A Ideia não é nova, a Honda já teve a CX 500 T nos anos 80, que não vingou, com 82 cv – a CX 500 ofertava 50 cv. Hoje, com muito mais avanços tecnológicos, o turbo deve ser, brevemente, um equipamento corriqueiro para aliviar peso mantendo a mesma potência de um quatro cilindros em apenas dois. * Para quem deseja trocar a sua moto por uma de maior cilindrada a Ávila Motos, localizada no bairro Barroca, BH, (31) 3371-2477, tem ótimas motos de todas as cilindradas, esportivas e custons. Além da procedência, há que considerar a tradição e a garantia oferecida. * Como a fofoca é cultura, vamos a umazinha... Boas línguas, dignas de créditos, dizem que para uma festa da Harley-Davidson ocorrido no Rio no início do ano, muitos mineiros embarcaram num avião, que levava no bagageiro suas reluzentes H-D para participarem do evento. Acredito. Talvez foi melhor não arriscar e poupar as motos para a grande volta pela cidade maravilhosa! * A sueca KTM que já ensaiou uma estada no Brasil e depois recuou, continua de olho no país. O salão de Milão nesse mês vai ser palco do lançamento da KTM 1290 Super Duke, com dois cilindros em V e 180 cv, que deve ser um dos passaportes para a reentrada em terras tupiniquins, onde as motos maiores estão vendendo, como os gaúchos dizem, barbaridade tchê.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave