Hegemonia Rio-SP ameaçada

Escrita pode ser quebrada neste ano, com Cruzeiro em 1º e Atlético-PR, Grêmio ou Goiás em 2°

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Élcio Paraiso - 7.12.2003
Façanha. Em 2003, Cruzeiro interrompeu as conquistas paulistas e cariocas, feito que pode repetir agora
A edição deste ano do Campeonato Brasileiro pode quebrar uma escrita que impera desde 1989. Nos últimos 24 certames, uma equipe do eixo Rio-São Paulo foi campeã ou vice do principal torneio nacional. Isso quando não havia dois times desses Estados ocupando os dois primeiros lugares da tabela. Mas a campanha avassaladora do líder Cruzeiro, aliada ao fato de Atlético-PR, Grêmio e Goiás ocuparem outras três das cinco primeiras posições da classificação, podem impedir a presença de um paulista ou um carioca nos dois postos de cima do torneio. Porém, o Botafogo mantém viva a probabilidade de esse tabu perdurar. A última vez que times fora do eixo Rio-São Paulo se tornaram campeão e vice em um mesmo Campeonato Brasileiro se deu em 1988, quando o Bahia levantou o caneco, ao superar o Internacional na final. De lá para cá, ao menos um representante de um dos dois Estados mais vitoriosos da história do torneio nacional esteve em uma das duas primeiras posições dos campeonatos. E somente em três oportunidades o campeão não integrava o eixo. Curiosamente, foram justamente os três primeiros colocados da atual edição que impediram que paulistas ou cariocas conquistassem o troféu: Cruzeiro, em 2003, Atlético-PR, em 2001, e Grêmio, em 1996. Quebrar essa hegemonia da dupla de Estados que mais recebe atenção da mídia esportiva nacional é algo que provavelmente acontecerá em 2013. O Cruzeiro, ao menos, está fazendo a parte dele. Resta saber se gaúchos, paranaenses ou goianos irão impedir que o Botafogo mantenha o tabu. Enquanto isso, a China Azul faz festa e conta os dias para comemorar o tricampeonato brasileiro, o que pode acontecer neste domingo, caso a Raposa supere o Grêmio, e o Furacão tropece diante do São Paulo. “O Cruzeiro fica mais forte ganhando títulos. São os títulos que fazem a história. O Cruzeiro tem uma história vitoriosa e continua a construir sua história”, ressaltou o diretor de futebol do clube celeste, Alexandre Mattos, em entrevista à rádio Itatiaia. Para voltar a brigar pelo título brasileiro, a Raposa precisou aprender com os erros de um passado recente e se reorganizar a nível administrativo. “Isso mostra que voltamos à nossa normalidade, de disputar títulos. Vamos escolher a dedo quem vem para cá. Será quem tem qualidade, quem tem história vitoriosa, quem tem potencial. Tem que vir e honrar muito as tradições do Cruzeiro”, completou o dirigente cruzeirense.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave