Em programa, Dedé fala de críticas e se emociona ao falar de irmã

Mariana, de apenas 15 anos, irmã do defensor celeste, apresentou um grave quadro de encefalite e precisou de toda atenção e cuidados para se recuper

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Denilton Dias/ VIPCOMM
Zagueiro Dedé abriu o placar para o Cruzeiro contra a Ponte Preta no último sábado, em Campinas, no estádio Moisés Lucarelli
Em uma entrevista ao programa "Bem, Amigos!", do canal por assinatura "Sportv", o zagueiro Dedé não segurou as lágrimas ao revelar um problema familiar que atravessou quando ainda se estabilizava com a camisa celeste. Sua irmã, Mariana, de apenas 15 anos, foi hospitalizada por conta de uma encefalite (infecção no cérebro). A notícia mexeu com o atleta cruzeirense, que precisou de algumas folgas a mais para prestar assistência à sua família durante o período pré e pós-Copa das Confederações. "Tive esse momento transtornado no Cruzeiro porque, extracampo, minha irmã teve encefalite e foi brabo. Fui jogar contra o Botafogo e dei sorte que o jogo foi em Volta Redonda (onde mora sua família). Eu que dou toda a assistência lá em casa, quando não estou a dificuldade aumenta. Estava com minha noiva no quarto, conversando com ela, e minha mãe deu um grito falando que minha irmã estava estranha, com dificuldades de reconhecer as coisas", declarou. "Nesse período teve o jogo do Corinthians, que ganhamos de 1 a 0, e eu voava em campo, ficava olhando para o céu. Depois teve o jogo com o Inter, direto isso, uma semana. Quando estou parado lembro da cena da minha irmã encostando em mim e não me reconhecendo. Foi a pior coisa que vivi na vida", completou o defensor. Durante este período, Dedé destacou a força e a compreensão da comissão técnica celeste e também dos companheiros de equipe. Para o zagueiro, que chegou ao Cruzeiro com o status de maior contratação da história do clube, o apoio foi fundamental para superar as críticas sofridas principalmente após a falha na vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O tento anotado pela equipe rubro-negra foi decisivo para a eliminação da Raposa, que perderia o duelo de volta, no Rio de Janeiro, por 1 a 0. "Para passar disso tive que segurar um mês ajudando minha mãe. Eram várias funções que tinha que fazer que estavam me atrapalhando, e até que chegou no ponto das críticas, quando comecei a pensar um pouco mais. Consegui dar a volta por cima num erro meu, prestei atenção e vi que minha irmã estava 100%, e graças a Deus consegui voltar a ajudar o Cruzeiro", concluiu Dedé, tido como um dos melhores zagueiros do Brasil na atualidade. 

Leia tudo sobre: futebol nacionalcampeonato brasileirocruzeiroraposadedé