Prostitutas de BH são as primeiras do país a aceitar cartão de crédito

Cerca de 20 prostitutas já solicitaram a máquina de cartão; na capital, o pagamento pelos serviços de uma profissional do sexo poderá ser feito com o cartão de crédito ou débito

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

A partir desta terça-feira (5), as prostitutas de Belo Horizonte irão levar na bolsa, além de preservativos e maquiagem, uma máquina de cartão de crédito. É que elas foram reconhecidas pela Caixa Econômica Federal como profissionais do mercado informal e poderão ser pagas com cartão de crédito, débito e até mesmo de forma parcelada, graças a uma parceria firmada entre a Associação de Prostitutas de Minas Gerais (Aspromig). Com isso, as profissionais do sexo da capital terão benefícios comuns a outras profissões como a cobertura de previdência social, aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, auxílio doença, salários-maternidade, pensão por morte, auxílio reclusão, entre outros. Elas também contarão com talões de cheque, cheque especial e capital de giro. Para Cida Vieira, presidente da Associação de Prostitutas de Minas Gerais (Aspromig), a parceria servirá também para quebrar o preconceito. "A nossa profissão já é reconhecida, falta a regulamentação, e este é um dos passos para que isto aconteça. O outro passo é a quebra do preconceito. A parceria será positiva também para ajudar no rompimento deste tabu", disse. As prostitutas belo-horizontinas serão as pioneiras no uso do cartão de crédito como forma de pagamento pelo serviço no Brasil, mas a ideia pode chegar a outras regiões em breve. "As meninas aqui recebem a máquina de cartão e podem utilizá-la em outros estados, onde moram, para onde vão", disse Cida. Ainda de acordo com a presidente da Aspromig, a parceria foi firmada visando os grandes eventos que serão sediados pelo Brasil, como a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016. "Estamos pensando nos turistas, muita gente não anda com dinheiro hoje em dia, então o cliente poderá parcelar o valor do programa, caso ele se estenda mais que o previsto, ou pagar no crédito ou débito. Com isso, estamos modernizando a vida da garota de programa e também do cliente", informou. Ela acredita que as novas possibilidades de pagamento irão potencializar o serviço, principalmente com a chegada de turistas no país. No primeiro dia implantação, 20 prostitutas já procuraram a Associação para solicitar a máquina de cartão. As profissionais interessadas, ou mesmo travestis, transexuais e garotos de programa filiados à Aspromig devem procurar a entidade com a carteira de identidade, o CPF e um comprovante de residência em mãos para ter acesso à mais essa possibilidade de negócios. Após isso, elas são orientadas a abrir uma conta na Caixa e recebem o equipamento em um prazo aproximado de 15 dias. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave