ONG identifica 1.000 pedófilos usando criança virtual de isca

Homens de 65 países ofereceram dinheiro para a menina de 10 anos para fazer atos sexuais

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

undefined
Amsterdã, Holanda. A ONG holandesa Terre des Hommes entregou ontem às autoridades mundiais um dossiê sobre 1.000 pedófilos que atuam pela internet. Para chegar a esse material, a organização criou uma menina filipina virtual de 10 anos com tecnologias de animação 3D e utilizava a personagem para identificar os “predadores sexuais” em chats públicos. Por trás da menina virtual – que recebeu o nome de Sweetie – estavam pesquisadores da ONG que interagiam com os suspeitos. Usando pequenas dicas reveladas pelos próprios homens, os pesquisadores conseguiam rastreá-los e reunir informações suficientes para que eles sejam localizados no mundo real. “Nós fomos inundados por homens querendo contato, querendo atividades sexuais ‘conosco’”, revelou Hans Guyt, diretor de projetos da organização, em uma coletiva realizada ontem em Haia, na Holanda. “No momento em que você faz login e se identifica como uma menina filipina, eles vêm para cima de você como um enxame. Acontece extremamente rápido”, revela, em um vídeo da ONG, um dos pesquisadores que se passou por Sweetie para investigar pedófilos. Perfil. Homens de vários países pagam para ter relações sexuais online com crianças. “A maioria deles é de países ricos. As pessoas que nos procuravam sabiam que Sweetie tinha 10 anos de idade e nós sempre os lembrávamos disso”, conta outro pesquisador que identificou pedófilos com o avatar da menina. Segundo o relatório da ONG, dois dos homens identificados são brasileiros. Esses homens se sentem seguros pelo anonimato que a internet oferece. Segundo informações da Terre des Hommes, eles usam nomes falsos, moram longe e podem pagar pelos serviços com cartões de crédito pré pagos, adquiridos em qualquer lugar do mundo. “Como tudo ocorre na internet, eles acham que ninguém os está observando, razão pela qual foi mais fácil reunir informações sobre essas pessoas”, comenta Guyt. Pressão. Em todo o mundo, a pedofilia virtual é considerada um crime. Mesmo assim, o fenômeno chamado de “turismo sexual virtual” não para de crescer e atinge alguns países – as Filipinas, por exemplo – como uma epidemia. “Nós mudamos a nossa atenção para o lado da demanda. Se nada está sendo feito a respeito da fonte do problema, esse fenômeno só irá aumentar ainda mais”, explica Guyt em um vídeo da ONG. A ONU estima que há cerca de 750 mil pedófilos online a qualquer momento. Paradoxalmente, somente seis homens foram presos pelo crime. De posse dos dados fornecidos pela ação realizada com Sweetie, a Terre des Hommes agora faz um apelo mundial para que as pessoas assinem uma petição online, com o objetivo de pressionar as autoridades mundiais a darem mais atenção ao tema. Brasil. Desde 2004, a ONG Terre Des Hommes tem um escritório virtual no Brasil, com sede em Belém, no Pará. Aqui, a organização trabalha com saúde e educação infantil, além de realizar campanhas de conscientização sobre violência e exploração sexual contra crianças. A ONG ainda não trabalha com a exploração sexual virtual no Brasil, mas iniciará ações de prevenção visando a Copa do Mundo. Internet segura para os pequenos Amsterdã. Alguns cuidados simples podem evitar grandes problemas envolvendo crianças e internet. Segundo orientações do site “Censura”, os pais devem manter o computador em uma área comum da casa, como sala ou escritório para facilitar o monitoramento dos sites que a criança está visitando. Se for utilizar a internet em bibliotecas ou lan houses, o ideal é que a criança vá sempre acompanhada. Também é necessário estabelecer regras para o uso da internet e monitorar se elas estão sendo seguidas. Ensinar a criança a não passar dados pessoais – nome, endereço, onde estuda, por exemplo – é fundamental.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave