Reconhecimento ao Marcelo

iG Minas Gerais |

Essa vitória do Cruzeiro em Santos ajuda a quebrar as últimas resistências de quem ainda não acreditava em Marcelo Oliveira como técnico de “time grande”. Bastaram três duas derrotas fora de casa e uma dentro para que essa brasa sem sentido voltasse a esquentar. O próprio Marcelo sabe bem o motivo que gerou essa desconfiança à sua competência. Começou na origem dele, atleticana, já que até no seio alvinegro, somente agora, essas resistências estão dando lugar a um reconhecimento tardio. Depois que pendurou as chuteiras, o ótimo meia-atacante Marcelo não quis saber de seguir o caminho da maioria absoluta dos companheiros que paravam: virar treinadores ou dirigentes de futebol. Bem-casado, caseiro, desses de ter horário para chegar em casa e ficar com a família, foi cuidar da administração do que ganhou como jogador e ajudar o sogro a tocar os prósperos negócios. Com os filhos bem-encaminhados e a família bem-estruturada resolveu se reinserir no mundo da bola, na base do Atlético. Aliou o próprio conhecimento com o que assimilou de melhor dos seus ex-comandantes, Barbatana e Telê Santana, e foi crescendo com os infantis, juvenis e juniores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave