Queniano Mutai é bicampeão da Maratona de Nova York

Geoffrey Mutai cruzou a linha de chegada no tempo extra-oficial de 2h08min24s

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O queniano Geoffrey Mutai, um dos principais fundistas da atualidade, venceu neste domingo a tradicional Maratona de Nova York, que reuniu mais de 48 mil corredores pelas ruas da metrópole norte-americana. Aos 32 anos, ele se tornou bicampeão da prova, uma vez que venceu também em 2011. No ano passado a Maratona de Nova York precisou ser cancelada por conta da passagem do furacão Sandy pela costa leste dos Estados Unidos, afetando diretamente os arredores de Nova York. Os atletas que conseguiram vaga na prova em 2012 tiveram garantido o direito de competir na edição deste domingo ou na dos dois próximos anos. A prova deste domingo teve um custo recorde com segurança, reflexo da preocupação quanto a um novo atentado terrorista como o que marcou a última edição da também tradicional Maratona de Boston, em abril. Na ocasião, uma bomba detonada perto da linha de chega matou três pessoas e feriu mais de 170. Protegida por enorme aparato de segurança, a Maratona de Nova York ocorreu sem sustos. E a vitória ficou com Geoffrey Mutai, que cruzou a linha de chegada no tempo extra-oficial de 2h08min24s, mais de três segundos mais lento do que o tempo que fez na vitória de 2011 e que é o recorde de Nova York. Neste domingo, ele foi seguido do etíope Tsegaye Kebede (2h09min16s), campeão em Londres, e do sul-africano Lusapho April (2h09min45s). Mutai é conhecido por ser o homem a correr uma maratona no tempo mais baixo da história. Em 2011, ele venceu em Boston em 2h03min02s, mas a marca não foi aceita como recorde mundial por conta do percurso cheio de descidas da prova. O atual recorde, batido pelo queniano Wilson Kipsang, em setembro passado, em Berlim, é de 2h03min23. Principal maratonista do Brasil na atualidade, Marilson Gomes dos Santos, campeão em 2006 e 2008, não foi a Nova York este ano. Ele preferiu competir em Berlim, há um mês, para tentar bater o recorde sul-americano. Não conseguiu. No feminino, a vitória em Nova York ficou com a também queniana Priscah Jeptoo, que venceu com o tempo, também extra-oficial, de 2h25min07s. Como a prova nova-iorquina faz parte do Circuito Mundial de Grandes Maratonas junto com Boston, Chicago, Londres, Tóquio e Londres e Jeptoo já havia vencido na capital inglesa, ela recebeu um polpudo bônus de meio milhão de dólares, assim como Kebede, segundo no masculino. Buzunesh Deba, da Etiópia, campeã em 2011, cruzou em segundo entre as mulheres.

Leia tudo sobre: quenianovencemaratonanova yorkGeoffrey Mutai