Marketing esportivo

iG Minas Gerais | Paulo Bressane |

Divulgação
undefined
Foi um domingo vibrante o último dia 20. Um domingo no qual assistimos a vitória do coração, da energia que movimenta a capacidade humana de se unir em prol de um objetivo único. Estou falando de vencer desafios, de um movimento colaborativo que tem feito jus ao conhecido provérbio universal de que a união faz a força. Estou falando, enfim, do Sada Cruzeiro que se consagrou como o melhor time de vôlei do mundo ao vencer o Mundial de Clubes da modalidade. Foi uma final arrasadora, na qual um time afinadíssimo e o calor de quase 8.000 torcedores tirou dos trilhos por 3 a 0 a frieza do Lokomotiv russo. O Sada Cruzeiro nos presenteou com um resultado histórico para o esporte brasileiro – o primeiro conquistado por uma equipe masculina – e o grupo Sada, de Vittorio Medioli, nos deu uma lição de empreendedorismo esportivo. Um dos problemas do vôlei no Brasil é que a mídia abre pouco espaço para outras modalidades esportivas. Não é fácil convencer o empresariado a investir no marketing esportivo, porque ainda não existe uma percepção plena do potencial que os esportes podem exercer na promoção de uma marca. Mas, voltando ao Sada, com apenas dois meses para organizar o mundial, Vittorio remodelou o torneio – que há quatro anos acontecia em Doha, no Catar – ao oferecer opções de lazer e cultura em parceria com o governo de Minas e a Prefeitura de Betim. A iniciativa do empreendedorismo lhe rendeu elogios do presidente da Federação Internacional de Vôlei: “Esse é o novo caminho do vôlei, juntar o entretenimento com a parte esportiva”. “Não existe percepção plena do potencial que o esporte exerce na promoção de uma marca Vários fatores contribuem para o sucesso de uma empresa, mas existe um denominador comum que se destaca em todas elas: um crescente foco nos clientes com a ajuda imprescindível do marketing. Se antes os empresários se preocupavam em apenas vender seus produtos ou serviços, hoje eles percebem a necessidade de promover sua marca pela construção de relacionamentos, e é neste aspecto que o marketing esportivo tem se tornado uma tendência no mercado brasileiro. Na final do Mundial de Clubes, em Betim, deu para sentir na pele a resposta do marketing ligado ao conceito esportivo: lá estavam os sentimentos da paixão e da vibração que, misturados à adrenalina da conquista, fortaleceram positivamente a imagem corporativa da empresa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave