Despretensão no olhar

Rodrigo Andrade, o Daniel da trama de “Amor à Vida”, aposta na naturalidade ao decorar as falas de seu personagem

iG Minas Gerais | nataly lima poptevê |

Pedro Paulo Figueiredo/CZN
Natural. Rodrigo ressalta facilidade de contracenar com a atriz Fabiana Karla, seu par na trama
Rodrigo Andrade preza pela espontaneidade em cena. Em “Amor à Vida”, na pele do fisioterapeuta Daniel, ele acredita que a naturalidade é essencial para passar emoção diante das câmeras. “Eu gosto de jogo solto. Nunca decoro minhas falas com as intenções marcadas”, explica. Na trama das nove, seu personagem faz par com a enfermeira Perséfone, de Fabiana Karla. Segundo ele, a atriz também se preocupa em não trazer as falas ensaiadas de casa. “Nossas cenas têm um rumo mais interessante. Vão se criando intenções, situações e gestos que vêm do personagem”.   Apesar de Rodrigo passear por vários núcleos da novela, é a vida pessoal de seu personagem que se destaca. O casal Daniel e Perséfone levanta a bandeira contra o preconceito à obesidade. “Quando as pessoas veem um casal diferente, o primeiro pensamento é o de que estão juntos por algum tipo de interesse maldoso”, retrata. No começo da trama, o papel era mais superficial. Rodrigo acredita que o amadurecimento se deu por conta da relação estabelecida entre o casal. “Ele primeiro virou amigo, conheceu o conteúdo dela. Só depois se apaixonou”, conta. A familiaridade com o elenco é um ponto positivo para Rodrigo. Ele já contracenou com grande parte dos atores, principalmente em seu último trabalho, “Gabriela”, de 2012. O convite para “Amor à Vida” surgiu ao término do remake através de Mauro Mendonça Filho, que tinha sido diretor geral da trama das 23h e, atualmente, ocupa o mesmo cargo na trama de Walcyr Carrasco. “Tudo começou com ‘Insensato Coração’. Meu personagem ganhou destaque e fui convidado para fazer ‘Gabriela’. O Mauro gostou e quis continuar trabalhando comigo”.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave