Desaparecidos políticos foram lembrados ontem

Parentes e amigos cobraram punição aos agentes da ditadura

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Glenda Souza / Assessoria Bonfim
Emoção. Fotos dos presos políticos desaparecidos foram exibidas
O Dia de Finados foi lembrado também por quem não conseguiu enterrar seus mortos. Cerca de 20 pessoas se reuniram ontem no cemitério do Bonfim, na região Noroeste de Belo Horizonte, para cobrar os corpos das dezenas de militantes políticos desaparecidos durante a ditadura militar.“No dia 2 de novembro, as famílias vão aos cemitérios homenagear seus entes queridos. Nós também gostaríamos de fazer essa homenagem, mas não é possível”, declararam os manifestantes, em panfleto divulgado no cemitério. O ato foi organizado pela Associação dos Amigos do Memorial da Anistia Política do Brasil, que luta pela abertura dos arquivos secretos da ditadura. O grupo reivindica também a punição aos criminosos que “assassinaram e desapareceram com nossos entes queridos”.Protesto. Durante o manifesto, os familiares usaram faixas pretas e mostraram fotos dos desaparecidos. Foi feita a leitura dos nomes de pelo menos 20 mineiros que desapareceram no regime e os parentes respondiam “presente” para mostrar que a memória deles permanece viva. O grupo chamou a atenção de quem foi ao cemitério ontem. “Eu cheguei a me arrepiar”, disse uma mulher que passava pelo local.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave