Atirador de Los Angeles pode passar por pena de morte, diz promotor

Armado com um rifle, Ciancia abriu fogo e causou pânico em um dos aeroportos mais movimentados do mundo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

reprodução/ sky5
undefined
O homem que é acusado de atirar no Aeroporto Internacional de Los Angeles na última quinta-feira (31) terá que enfrentar acusação de homicídio pela morte de um funcionário público. A afirmação é do promotor federal Andre Birotte a jornalistas. O Ministério Público poderá pedir a pena de morte para Paul Anthony Ciancia, 23 anos. Armado com um rifle, Ciancia abriu fogo e causou pânico em um dos aeroportos mais movimentados do mundo. O FBI revelou que ele queria liquidar "o maior número possível de funcionários da TSA". As TV's americanas exibiram imagens de pânico e caos durante e após o tiroteio. De acordo com o Los Angeles Times, o atirador apontava sua arma para os passageiros e lhes perguntava se "eles eram da TSA". Se a resposta fosse negativa, ele seguia, relatou uma testemunha. Ciancia acertou tiros em pelo menos dois funcionários da agência de segurança dos transportes (TSA), um de maneira fatal: Gerardo Hernandez, que tinha 39 anos e foi o primeiro empregado da agência a morrer no exercício do trabalho.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave