Saudade sim, tristeza não!

iG Minas Gerais |

Amados, hoje é o Dia de Finados. Desde os primeiros passos na nossa santa Igreja, o dia de Finados esteve presente. Documentos mais antigos da igreja comprovam que esse hábito existe há muitos e muitos séculos. O foco principal da celebração nunca foi a morte, mas a fé na Ressurreição e a esperança de estar um dia perante Deus em Sua morada. Por isso, durante toda esta semana, mexemos em feridas muito difíceis de ser cicatrizadas, falamos de perda. Todos nós sofremos ao perder pessoas que amamos, mas é como eu sempre digo: “Só deixa saudade quem foi amor”, porém, por mais que tenhamos essa certeza em nossos corações, sempre dói não poder mais ter o contato físico, as conversas, os abraços, com aqueles que marcaram nossa existência. Toda perda de alguém que amamos causa dores em nossos corações e essa dor é fortemente potencializada quando trata-se de uma perda repentina. Algumas vezes, pessoas partem desta vida de maneira abrupta, seja devido a um acidente, uma tragédia, ou até uma doença que acomete alguém de maneira irreversível. Quando a perda acontece repentinamente, além de uma dor profunda na nossa alma, ficamos com um sentimento de vazio no coração, uma interrogação em nossas mentes que parece jamais ter uma resposta, você que está passando por isso, não fraqueje, Deus está contigo, não duvide. Peço também uma bênção especial para aqueles que perderam as pessoas mais importantes, pais, mães e maridos ou esposas. Como eu disse, toda perda é sentida, mas essas, particularmente, deixam um vazio enorme. Quando perdemos nossos pais, parece que uma grande parte de nossa vida se vai também. Lembramos de toda a nossa existência e muitos demoram muito para se recuperar deste fato. O mesmo ocorre quando as esposas perdem seus maridos ou esposas, pois perde-se o (a) parceiro (a) escolhido para dividir a caminhada da vida Divido aqui o meu coração e as minhas orações a todos que sentem uma das piores dores envolvendo perdas, pais que perderam filhos. Perder um pai, ou uma mãe dói e dói muito, mas perder um filho causa um abalo no psicológico nas pessoas, que se não cuidado com carinho, pode devastar para sempre a vida desse ser humano. Como coloquei acima, perder os pais dói, mas querendo ou não é a ordem natural da existência terrena, agora um pai ou mãe enterrar um filho é muito difícil, jamais é esperado e nunca é superado. Sempre digo que devemos agradecer a Deus os momentos que passamos juntos com as pessoas que amamos e não lamentar a sua ausência nesta vida. Sentir saudade é bom, mas sem tristeza, pois “só deixa saudade quem foi amor”. Deus os abençoe!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave