Cemitérios da capital recebem parentes saudosos no Dia de Finados

Uma visitante que perdeu a mãe e o sobrinho disse que a data é muito importante para ela ver que não está sozinha quando se trata de sentir saudades

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

"É dia de sentir saudade em grupo", disse a aposentada Maria Souza Carvalho, de 66 anos, ao visitar o túmulo da mãe do sobrinho neste sábado (2), data em que se comemora o Dia de Finados, no cemitério Bosque da Esperança, localizado no bairro Jaqueline, na região Norte da capital. Assim como ela, cerca de 40 mil pessoas devem passar pelo cemitério para visitar os entes queridos que já se foram. "Este dia é muito importante pra mim, porque eu sinto saudade sozinha, todos os dias. Mas no dia dos mortos a gente encontra várias outras pessoas que também sofrem da mesma saudade. É um dia de todos sentirem saudades", disse a aposentada, que perdeu a mãe há cerca de 7 anos e o sobrinho, há 9. Dentre as homenagens preparados pelo Bosque da Esperança, um helicóptero passou a sobrevoar o local durante a manhã lançando pétalas de rosa. Além disso, vários balões brancos foram soltos no ar e o padre Joaquim Miranda rezou a missa em homenagem aos mortos. "O Dia de Finados é importante para os cristãos, pois nós cremos na vida eterna. Por mais que haja a tristeza da separação, fica a certeza da eternidade", disse. Outros cemitérios da capital também realizam missas e homenagens para celebrar a data. No Parque da Colina, são esperadas 300 mil pessoas e os cemitérios municipais, o Bonfim, o da Consolação, o da Paz e o da Saudade, devem ser visitados por cerca de 225 mil ao longo do dia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave