Sete médicos cubanos chegam a Neves, mas déficit continua

Profissionais se emocionaram ao serem aplaudidos pela população ontem

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

DENILTON DIAS / O TEMPO
Boas-vindas. Prefeita Daniela Corrêa recebeu ontem os sete médicos que irão atuar no município
Sete médicos cubanos foram recepcionados com festa ontem em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. O município recebeu, junto com Betim, na mesma região, o segundo maior número de profissionais graduados no exterior na segunda etapa do programa Mais Médicos. Os estrangeiros se emocionaram durante a chegada e disseram estar preparados para enfrentar a falta de estrutura em saúde na cidade, que tem a terceira menor arrecadação pública do país. Entretanto, mesmo com o reforço, dez centros de saúde continuarão sem sequer um médico, de acordo com a secretária municipal de Saúde, Andréia Torres. “Nesses locais, temos enfermeiros, técnicos em enfermagem e agentes comunitários, mas não médicos”, disse ela. A deficiência envolve os profissionais de saúde da família – que estão sendo recrutados pelo programa – e também clínicos gerais e especialistas. Quem precisa de atendimento nessas unidades, segundo Andréia, é encaminhado para outros centros de saúde ou precisa recorrer ao Hospital São Judas Tadeu, o único do município para urgência e emergência – que vive lotado e sem plantonistas. Já na área de saúde da família, nem 50% da população de Ribeirão das Neves (296.317 habitantes ao todo, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE) é cadastrada para ser acompanhada pelas equipes. A prefeita Daniela Corrêa afirmou que atualmente metade da população é cadastrada para atendimento pelas equipes, porém, pelo menos dez dessas equipes ainda estão sem médicos. “Com os sete cubanos, vamos aumentar em 30 mil o número de pessoas referenciadas. Mas esperamos mais profissionais para cobrir o restante da população”. Reforço. Os sete cubanos vão atuar nas Unidades Básicas de Saúde Fazenda Castro, Metropolitano, Sevilha B I, Neviana, Cerejeira, Nova Pampulha II e Fortaleza. Eles fazem treinamento hoje na cidade e começam a trabalhar na próxima segunda-feira. Além deles, uma brasileira formada em Cuba também está atuando há dois meses no bairro Areias 1 pelo programa. Para todo o Estado, foram designados cem profissionais nessa segunda etapa de seleção – 97 cubanos e três de outras nacionalidades não informadas pelo governo federal.        

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave